FBI investigou escolha de sedes da Copa do Mundo pela Fifa, diz jornal

Órgão de inteligência norte-americano teria contado com um dirigente "arrependido" para checar a possibilidade de fraude

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

O FBI monitorou as eleições realizadas pela Fifa para a escolha das sedes das Copas de 2018, na Rússia, e 2022, no Qatar, conforme publicou o diário "Daily News", de Nova York, na terça-feira (4).

De acordo com a publicação, na ocasião, o órgão de inteligência norte-americano contou com um dirigente "arrependido" para checar a possibilidade de fraude no pleito.

Trata-se de Chuck Blazer, ex-secretário-geral da Concacaf e ex-membro do Comitê Executivo da entidade que comanda o futebol mundial.

Ele teria levado um microfone escondido em um chaveiro durante as sessões realizadas em Londres, nos Jogos Olímpicos em 2012, que definiram as sedes.

Segundo o jornal, o ex-dirigente da Fifa só aceitou participar após ser pressionado pelo FBI, já que ele teria sonegado milhões de dólares em impostos.

Com as gravações, o FBI determinará se houve ou não corrupção na escolha das sedes para a Copa do Mundo.

Leia tudo sobre: fbiinvestigoufifaescolhasedescopa do mundo