Jogadores acreditam que fama de Cruzeiro “copeiro” pesa na decisão

Histórico cruzeirense em competições no estilo mata-mata faz grupo celeste confiar em classificação à final da Copa do Brasil

iG Minas Gerais | BRUNO TRINDADE |

Jovem Lucas Silva diz que passado celeste gera expectativa de todas as partes, jogadores e torcida, mas também traz sorte
WASHINGTON ALVES/LIGHT PRESS/VIPCOMM
Jovem Lucas Silva diz que passado celeste gera expectativa de todas as partes, jogadores e torcida, mas também traz sorte

A fama de time copeiro em mata-matas adquirida pelo Cruzeiro, principalmente na década de 1990, quando conquistou muitos títulos, costuma impor respeito na hora de enfrentar o clube celeste em competições nacionais e internacionais. E é esse passado de conquistas que os jogadores celestes apontam com um dos fatores para o time chegar à final da Copa do Brasil.

O volante Lucas Silva afirma que o histórico da Raposa traz até sorte para que a equipe atual siga em busca da Tríplice Coroa. “Pesa muito (fama de time copeiro), até pelo lado da sorte, de expectativa da torcida e de nós jogadores. Nesse quesito, Cruzeiro leva vantagem. Cabe a nós, encarnar esse espírito. A gente chega para vencer e é assim que vamos encarar o Santos”, declarou.

O meia-atacante Ricardo Goulart também considera o Cruzeiro mais forte devido ao seu passado de conquistas. “O Cruzeiro tem uma história. Se chegou onde chegou, não foi por acaso. É um clube que tem muita qualidade e é forte. Por isso, nesta hora decisiva, não vamos dar brechas. Esperamos fazer um grande jogo contra o Santos para chegarmos na final”, afirmou.  

Leia tudo sobre: cruzeiroraposacopa do brasilsantospeixe