Ex-prefeito de Iguala e sua mulher são presos na Cidade do México

Eles foram acusados do desaparecimento de 43 estudantes e do assassinato de outras seis pessoas de Ayotzinapa, em setembro

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O ex-prefeito da cidade de Iguala José Luis Abarca e sua mulher, acusados de envolvimento no caso do desaparecimento de 43 estudantes, foram detidos na Cidade do México, em uma operação da Polícia Federal do México, confirmou nesta terça-feira (4) o porta-voz da instituição através do Twitter, José Ramón Salinas.

Abarca e María de Los Angeles Pineda, que estavam foragidos, foram detidos em uma casa que tinham alugado no bairro de Iztapalapa. A proprietária que alertou a polícia da presença deles. Os dois foram transferidos para a sede da Subprocuradoria Especializada em Investigação de Delinquência, onde prestaram depoimento.

Eles foram acusados do desaparecimento de 43 estudantes e do assassinato de outras seis pessoas de Ayotzinapa, em setembro.

No dia 26 de setembro, policiais de Iguala atiraram em alunos de uma escola rural por ordens do então prefeito. Seis pessoas morreram, 25 ficaram feridas e 43 jovens foram detidos e entregues ao cartel Guerreros Unidos, que se encarregou do desaparecimento deles, de acordo com as investigações da Procuradoria-Geral do México.

Abarca, a mulher e o secretário de Segurança de Iguala, Felipe Flores, são considerados mentores dos crimes.

Os dois, conhecidos em Iguala como "o casal imperial", fugiram alguns dias depois do ataque, quando ainda não existia ordem de prisão contra eles.

Mais de 50 pessoas envolvidas no caso já foram presas, incluindo policiais de Iguala e do município vizinho de Cocula, assim como membros do grupo criminoso, incluído o líder, Sidronio Casarrubias, que revelou que todo mês o cartel entregava elevadas somas de dinheiro ao prefeito e chegava a decidir quem poderia se integrar à corporação policial.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave