EUA realizam eleições de olho no pleito de 2016

Norte-americanos vão escolher nesta terça representantes para o poder legislativo, além de novos governadores

iG Minas Gerais |


Obama esteve discreto na campanha por causa de baixa popularidade
Evan Vucci
Obama esteve discreto na campanha por causa de baixa popularidade

Washington, EUA. Os Estados Unidos realizam nesta terça eleições legislativas e para governador, mas os americanos já respiram a corrida presidencial de 2016. Na campanha deste ano, políticos que sonham em disputar a Casa Branca caíram na estrada e arrecadaram fundos, testando viabilidade e prestígio junto a eleitores.

Ex-secretária de Estado, ex-senadora e ex-primeira-dama, a democrata Hillary Clinton, por exemplo, concentra as atenções, pois sua candidatura é dada como certa, e seu nome, muito forte. Mas tanto em seu partido quanto entre os republicanos, ao menos 65 pessoas foram mencionadas no atual ciclo como possíveis candidatos daqui a dois anos.

Diferentemente do Brasil, nos Estados Unidos as eleições para o Congresso Nacional ocorrem a cada dois anos. Isso porque os deputados federais têm mandato de dois anos. Já os senadores têm mandato de seis. A cada dois anos, um terço do Senado americano é renovado.

Derrota. A Casa Branca não admite que pode perder o controle do poder legislativo nessas eleições, apesar de as pesquisas sugerirem que os republicanos estão prestes a conquistar assentos suficientes para potencialmente tomar o controle do Senado.

Na reta final, ambos os lados fizeram esforços na busca pela vitória, apesar de o presidente Barack Obama ter tido um comportamento discreto durante grande parte do ciclo eleitoral de 2014, com foco na captação de recursos para comícios de campanha, enquanto sua popularidade permanece baixa.

Plebiscitos

Os norte-americanos também escolherão nas urnas os rumos de algumas das políticas do país

No caso, por exemplo, do salário mínimo, cinco Estados decidirão nas urnas se o aumentarão: Alasca, Arkansas, Illinois, Nebraska e Dakota do Sul

Já Alasca, Oregon e Columbia vão deliberar sobre o uso recreativo da maconha.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave