A voz da Massa

iG Minas Gerais |

Saudações alvinegras! O desfecho da última rodada do Brasileirão não poderia ter sido pior para o Galo. Todas as equipes que lutam por uma vaga no G-4 venceram, menos o nosso time, derrotado em Curitiba. Não merecia! Um empate, no mínimo, seria mais justo, pelo bom volume de jogo apresentado pelo alvinegro, sobretudo no segundo tempo. Mas, como no futebol merecimento nem sempre define resultados, perdemos o jogo. Ter entrado em campo sem nenhum armador de ofício prejudicou demais o desempenho do Galo. Tardelli até que tentou fazer essa função, mas não é a dele. E o pior é que, quando Levir o desloca para essa função, o Galo acaba o perdendo no ataque, onde Tardelli é mais decisivo. Não vamos nos abater. Ainda estamos muito vivos na luta por vaga no G-4! E vamos juntar forças, pois amanhã faremos o jogo mais importante da temporada.

A voz Celeste Saudações celestes, nação azul. Tudo se encaminha bem no Campeonato Brasileiro para que sejamos tetracampeões. O Botafogo não representou nenhum risco ao Cruzeiro, a partida ficou completamente sob controle, e até o gol deles foi nosso, de tão tranquilo que estava. Alguns reclamaram falando que o Cruzeiro jogou mal o segundo tempo, mas eu não entendo assim. Estávamos com o domínio do jogo e nem fomos tão pressionados assim. Não tirando os méritos do Cruzeiro, o time do Botafogo veio aqui apenas para deixar três pontos. Ainda foram salvos por uma ótima defesa de Jefferson no segundo tempo e pela má pontaria de Marcelo Moreno, que poderia ter convertido dois gols de cabeça praticamente feitos. O motor desse time tem sido Marquinhos, marcando gols importantes e mostrando enorme comprometimento tático. Rumo ao tetra!

Avacoelhada Apesar de ter jogado mal contra o ABC, o América teve condições de vencer, principalmente devido ao baixo nível técnico do adversário. João Ricardo fez importantes defesas, mas Obina desperdiçou chances de gol. Tchô e Gilson, os principais articuladores do time, pouco apareceram. Os dois meias de ligação foram improdutivos na distribuição das jogadas, assistências e finalizações. Aliás, Gilson se destacou negativamente, em um lance que poderia ter levado cartão vermelho. Até Leandro Guerreiro, um dos mais regulares da equipe, errou passes que não costuma errar. Raul repetiu as falhas anteriores na marcação e os muitos erros na saída de bola e cruzamentos. Mancini e Bruninho nada acrescentaram. Bruninho foi relacionado para 19 jogos, participou de 12, acertou um passe decisivo e não fez nenhuma finalização certa.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave