Com multa mais cara, PRF pune 1.500 motoristas em dois dias

Meta da Polícia Rodoviária Federal é diminuir mortes no trânsito em 50% até 2020

iG Minas Gerais |

Morte. Acidente entre caminhão e ônibus matou 13 em Ibitinga, interior de São Paulo, pode ter sido causado por ultrapassagem perigosa
TIAGO DA MATA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO - 29.10.20
Morte. Acidente entre caminhão e ônibus matou 13 em Ibitinga, interior de São Paulo, pode ter sido causado por ultrapassagem perigosa

Brasília. Aproximadamente 1.500 motoristas foram punidos pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) no primeiro fim de semana de vigência dos novos valores de multas de trânsito. Desde sábado, as multas para condutores flagrados em ultrapassagens forçadas, em local proibido, ou disputando racha e exibindo manobras perigosas estão até dez vezes mais caras.

A maior parte – 1.390 – foi aplicada a motoristas ultrapassando em situações perigosas ou em locais proibidos. Nesses casos, como faixas contínuas, curvas, trevos, túneis, pontes e acostamentos, a multa aumentou de R$ 127,69 para R$ 957,70. Em caso de reincidência em um ano, o valor da punição dobrará.

Conforme a PRF, a infração mais comum é a ultrapassagem pela contramão, em pista de faixa contínua. O chefe da Divisão de Planejamento Operacional da PRF, Edson Nunes Souza, explicou que as ações de fiscalização são planejadas de acordo com o número de acidentes registrados nas vias.

“Temos um banco de dados com os locais onde ocorrem mais acidentes. Então, direcionamos as fiscalizações para esses lugares. Dessa forma, conseguimos reduzir infrações e evitar acidentes”.

No sábado e domingo, 43 motoristas foram flagrados pela PRF forçando passagem em pistas simples. Esta é infração cuja multa sofreu maior reajuste, passando de R$ 191,54 para R$ 1.915,40. O valor será dobrado em caso de reincidência em 12 meses.

Seis motoristas foram multados pela PRF por praticar racha ou exibir manobras perigosas, infrações que também ficaram mais duras. “O número baixo deve-se, principalmente, ao fato de a maioria dos rachas ocorrer em cidades, e não nas rodovias federais”, explicou Edson Nunes.

Segundo ele, o aumento no valor das multas faz parte de um pacote de alterações nas leis. “A proposta é diminuir as mortes no trânsito em 50% até 2020”, salientou Nunes. Ele ainda acrescentou que as colisões frontais, a maioria causada por ultrapassagens indevidas, são responsáveis por cerca de 34% das mortes em rodovias federais. As informações são da Agência Brasil.

Reincidência

Pesa no bolso. A sanção para ultrapassagens de risco, que normalmente obriga o outro veículo a sair da pista para evitar acidentes, dobrará se houver reincidência. Nesse caso, o valor será R$ 3.830,80.

Laudo diz que carreta estava na contramão São Paulo. Foi finalizado pelo Instituto de Criminalística de Araraquara (SP) o laudo pericial relacionado ao acidente registrado na semana passada em Ibitinga que deixou 13 mortos. O documento aponta que o caminhão-tanque que colidiu contra o ônibus que levava alunos e professores estava na contramão. O acidente ocorreu no KM 370 da rodovia Leônidas Pacheco Ferreira (SP-304), e a polícia tentará descobrir agora o que fez o caminhoneiro mudar de pista. No momento da colisão não foi possível precisar a velocidade do caminhão, pois o tacógrafo ficou destruído. O ônibus trafegava a 84 km/h. O trecho onde ocorreu a colisão está em obras, e, segundo o Departamento de Estrada de Rodagem (DER), a velocidade máxima permitida no local é de 60 km/h. O acidente aconteceu no dia 27 de outubro. O ônibus colidiu de frente com o caminhão que levava óleo vegetal e pegou fogo. Já o coletivo transportava estudantes e professores de Borborema (SP) que haviam viajado para conhecer São Paulo. Dos feridos, três continuam internados. No desastre morreram oito estudantes, de 15 a 17 anos, uma diretora de escola e três professoras, além de uma fotógrafa.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave