SPFW usa tricô feito por detentos mineiros

Entre as grifes que desfilaram nesta segunda, vale destaque para Animale, Victor Dzenk e Cavalera

iG Minas Gerais | Da redação |

Detentos do projeto Flor de Lótus tricotam roupas para a grife Iódice em prisão de Juiz de Fora
Osvaldo Afonso / Secom
Detentos do projeto Flor de Lótus tricotam roupas para a grife Iódice em prisão de Juiz de Fora

São Paulo. A 38ª edição do São Paulo Fashion Week começou nesta segunda, mas é uma marca que ainda não desfilou que começou a semana chamando a atenção. Após passar dois anos afastada do evento, a grife Iódice, do estilista paulistano Valdemar Iódice, vai desfilar 20 peças feitas por oito detentos de penitenciárias de segurança máxima de Minas Gerais em sua coleção de inverno. Os detentos fazem parte do projeto Flor de Lótus, criado em 2009 por Raquell Guimarães, cujo objetivo é ensinar técnicas de tricô e crochê a prisioneiros para inclui-los socialmente.

Entre as grifes que desfilaram nesta segunda, vale destaque para Animale, Victor Dzenk e Cavalera. Nesta terça, desfilam Pedro Lourenço, Reinaldo Lourenço e Colcci. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave