Juiz autoriza depoimentos no exterior com operadores de bancos

Prestaram esclarecimentos sete testemunhas, de cinco países; são funcionários de bancos e suspeitos apontados pelas investigações da Operação Lava Jato

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Autorização do juiz Sérgio Moro determina o depoimento de sete testemunhas, de cinco países, para esclarecer sobre o esquema de lavagem de dinheiro. Aprovada na última quinta-feira (30), a decisão passou a integrar o processão das investigações a partir desta segunda-feira (3). Segundo a Polícia Federal, podem ter sido movimentados cerca de R$ 10 bilhões.

Aqueles que prestaram os depoimentos são funcionários de bancos e suspeitos apontados pelas investigações da Operação Lava Jato. Eles teriam facilitado operações bancárias para o doleiro Alberto Youssef e ajudado com a abertura de empresas no exterior.

Até agora, US$ 5 milhões, que pertenceriam ao doleiro, foram bloqueados pela Suíça. Serão intimado para depor: duas testemunhas na Suíça, duas em Cingapura, uma no Panamá, uma em Londres e uma em Hong Kong.

Ainda não existem confirmação de datas. Acordos internacionais foram incluídos na decisão do juiz Sérgio Moro, para permitir que os depoimentos sejam tomados. O prazo estipulado para a tradução dos depoimentos foi de 15 dias. No final, os documentos serão encaminhados para a Justiça Federal do Paraná. As informações são do portal "G1".

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave