Fazendeiro represa água e prejudica moradores de Santa Rita do Sapucaí

Criador de gado foi multado por não apresentar licença ambiental; moradores da zona Rural ficaram vários dias sem água; abastecimento já foi normalizado

iG Minas Gerais | Gustavo Lameira |

Um fazendeiro de Santa Rita do Sapucaí, no Sul de Minas, foi multado por represar água ilegalmente. Conforme a Polícia Militar do Meio Ambiente, o caso foi registrado há cerca de um mês no bairro do Balaio, zona Rural do município.

Por conta do abuso, os demais moradores, que estão na parte mais baixa da localidade, ficaram sem água por vários dias. Aos policiais, o homem disse ter feito a contenção no ribeirão, afluente do rio Sapucaí, para realizar obras em outra represa já existente em suas terras.

"Nós fomos comunicados e comparecemos à Fazenda São José. Lá constatamos que o fazendeiro não tinha qualquer autorização da Semad (Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável) para isso. Então, ele foi autuado ambientalmente", disse o tenente Cristiano Pires Alvim. Esse documento de autuação foi encaminhado ao Ministério Público e à Semad.

Ainda segundo a Polícia Militar do Meio Ambiente, o local teria sido arrendado há um ano pelo fazendeiro para a criação de gado.

De acordo com o diretor de Meio Ambiente de Santa Rita do Sapucaí, Robledo de Martha, o abastecimento para a população do bairro do Balaio já está normalizado. "A represa já foi retirada. O caso aconteceu realmente há um mês, apesar de nós termos ficado sabendo apenas somente há uma semana", disse.

A Prefeitura informou ainda que o abastecimento da cidade, a 15 km da zona Rural, é feito pela Copasa, e não foi comprometido pelo represamento.