São Paulo comemora terceira vitória em maratona e ainda mira título

Com o triunfo sobre o Criciúma, por 2 a 1, o Tricolor Paulista permanece em segundo, com 59 pontos, enquanto o líder Cruzeiro tem 64

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Ceni está de volta ao time titular do São Paulo
Rubens Chiri / São Paulo
Ceni está de volta ao time titular do São Paulo

Os jogadores e a comissão técnica do São Paulo comemoram bastante a terceira vitória durante a maratona de jogos que têm enfrentado após derrotarem o Criciúma por 2 a 1 neste domingo (2), pela 32ª rodada do Campeonato brasileiro.

Com o confronto em Santa Catarina, o São Paulo completou a sua terceira partida em uma semana, depois que enfrentou o Goiás, na última segunda (27), também pelo Nacional, e Emelec, pela Sul-Americana, na quinta (30). Agora, o time do Morumbi viajará para o Equador já nesta segunda (3), onde fará o duelo de volta contra os equatorianos na próxima quarta (5), antes de enfrentar o Vitória, em Salvador, no domingo (9).

"Com certeza saímos de campo satisfeitos. Pela luta, entrega de todos. Jogamos num campo muito rápido, molhado, não parou de chover. A gente veio de viagem, já vai para viagem. A entrega e luta foram muito grande, e precisaremos dessa entrega nos próximos jogos", afirmou o goleiro Rogério Ceni.

Com o resultado no estádio Heriberto Hülse, a equipe são-paulina permaneceu na busca do líder Cruzeiro, que venceu o Botafogo por 2 a 1. Agora, os paulistas somam 59 pontos contra 64 dos mineiros, restando apenas seis rodadas para o término da competição.

"Esse espírito de luta, essa entrega dos jogadores, faz toda a diferença. Essa parceria é fundamental, nosso ambiente é ótimo e, mesmo com essa loucura de disputar três jogos em uma semana, obtivemos três vitórias", completou o técnico Muricy Ramalho.

O treinador são-paulino, no entanto, também culpou a maratona do São Paulo pela lesão do volante Maicon, que o tirou de campo contra o Criciúma e impedirá o jogador de atuar contra o time equatoriano. Nesta segunda (3), o jogador passará por uma bateria de exames para que os médicos do clube saibam a gravidade de sua contusão.

"Não adianta a gente falar a mesma coisa de sempre. O que se faz com um time como o São Paulo, que joga três vezes em uma semana, é um absurdo. A cada jogo, perdemos um jogador. E vai chegar o momento em que vamos estourar todo mundo. Já estou cansado disso. No vestiário, vejo o Kardec estirado, morto, o outro machucado, todo o mundo no gelo", finalizou.