PF faz operação no Rio Grande do Sul para coibir fraudes no INSS

De acordo com a Polícia Federal, os suspeitos captavam pessoas e usavam os documentos delas para inserir dados falsos nos sistemas da Previdência Social, por meio do cadastro de empresas fictícias

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A Polícia Federal no Rio Grande do Sul prendeu nesta quinta-feira (30) advogados, contadores e despachantes suspeitos participar de uma organização criminosa que fraudava o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e o Ministério da Previdência. Os agentes da Operação Mendax, que em latim significa mentira, cumpriram 38 mandados – seis de prisão preventiva, 20 de busca e apreensão e 12 de condução coercitiva.

A operação foi desencadeada nas cidades gauchas de Santa Maria, São Martinho da Serra, Viamão, Cidreira, Osório e Porto Alegre. De acordo com a Polícia Federal, os suspeitos captavam pessoas e usavam os documentos delas para inserir dados falsos nos sistemas da Previdência Social, por meio do cadastro de empresas fictícias.

Com isso, segundo as investigações, eram registrados vínculos empregatícios falsos em carteiras de trabalho e, posteriormente, inseridos no sistema da Previdência. Após a inclusão dos dados, os criminosos requisitavam benefícios como auxílio-doença e aposentadoria por tempo de contribuição.

Ainda de acordo com a PF, foram alvo da operação residências de beneficiários falsos, escritórios contábeis e advocatícios, além de postos do INSS, pois havia a suspeita de participação de servidores no esquema.

Operação, segundo a PF, teve a participação de 120 policiais federais, 22 servidores do INSS e o apoio do Ministério da Previdência e da Brigada Militar gaúcha.