Dólar e preço do minério levam Vale a prejuízo de R$ 3,38 bilhões

No segundo trimestre, a Vale havia lucrado R$ 3,19 bilhões, e, no terceiro trimestre de 2013, os ganhos haviam atingido R$ 7,95 bilhões; no ano, o lucro acumulado é 62% inferior ao mesmo período do ano passado

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Empresários estão mais interessados em mineração, energia e siderurgia
Vale/Divulgação
Empresários estão mais interessados em mineração, energia e siderurgia

Apesar de ter atingido produção recorde de minério de ferro no terceiro trimestre, a Vale registrou prejuízo de R$ 3,38 bilhões no período, resultado da queda no preço do minério de ferro no mercado internacional, da desvalorização do real frente ao dólar e de perdas com dívida e derivativos, decorrentes da variação cambial.

No período, o impacto do câmbio no resultado foi estimado em R$ 6,22 bilhões, e o da queda no preço do minério, de R$ 3,32 bilhões.

No segundo trimestre, a Vale havia lucrado R$ 3,19 bilhões, e, no terceiro trimestre de 2013, os ganhos haviam atingido R$ 7,95 bilhões.

No ano, o lucro acumulado é de R$ 5,72 bilhões, valor 62% inferior aos R$ 14,98 bilhões que a empresa havia acumulado em igual período do ano passado.

Receita

A receita caiu 6,3% entre o segundo e o terceiro trimestres, de R$ 22,47 bilhões para R$ 21,06 bilhões, puxada principalmente pela redução de 11% na cotação do minério de ferro no período. No ano, a queda no preço é de 35%.

Em nove meses, a receita da Vale atingiu US$ 66,37 bilhões, 8,7% abaixo do que os R$ 72,72 bilhões havia obtido em igual período de 2013.

A elevada produção de minério de ferro, 85,7 milhões de toneladas em três meses, o maior volume extraído em um trimestre na na história da companhia, não se refletiu nos resultados porque a empresa enfrentou dificuldade em transportá-lo de sua principal mina em produção, Carajás (PA).

O motivo foi o bloqueio da ferrovia Carajás, concessão da Vale, por quilombos em manifestações, em setembro. Assim, 9,3 milhões de toneladas estão em estoques, e a empresa diz já ter negociado parte desse volume "em condições mais vantajosas".

A geração de caixa, medida pelo indicador Ebitda, registrou queda de 25% entre o segundo e o terceiro trimestres, de R$ 9,14 bilhões para R$ 6,85 bilhões.

Investimentos

A Vale informou ter investido US$ 8,2 bilhões nos primeiros nove meses do ano, um valor 21,2% abaixo do que desembolsou em igual período de 2013, em especial pela redução no volume de projetos.

"A empresa segue confiante que vem fazendo o seu dever de casa e entregando tanto reduções de custos e despesas como aumento de volumes e projetos no prazo para continuar gerando valor para os seus acionista", disse, por nota, o diretor de finanças e de relações com investidores da Vale, Luciano Siani.

Leia tudo sobre: PrejuízoValeBalançoReceitaInvestimentosDólarCâmbiomineraçãovalorizaçãoquedaBrasileconomia