Casos de ebola caem na Libéria, mas é cedo para celebrar, diz OMS

"Parece que a tendência é real no país e pode haver um abrandamento da epidemia", disse o diretor-geral adjunto da OMS, Bruce Aylward

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Ebola já matou mais de mil pessoas na África ocidental após o início do atual surto
Michael Duff
Ebola já matou mais de mil pessoas na África ocidental após o início do atual surto

O número de infectados com o vírus ebola parece estar caindo na Libéria, mas a crise está longe de acabar, alerta a Organização Mundial da Saúde (OMS).

"Parece que a tendência é real no país e pode haver um abrandamento da epidemia", disse o diretor-geral adjunto da OMS, Bruce Aylward. "Há sinais crescentes de que vão conseguir vencer", acrescentou.

Bruce Aylward lembrou, no entanto, que se preocupa "com a possibilidade de a informação ser mal interpretada e as pessoas começarem a pensar que o ebola está sob controle".

"É como pensar que um tigre de estimação está sob controle", advertiu, destacando que a epidemia já deu sinais de abrandamento anteriormente, mas acabou por voltar com mais intensidade.

O surto de ebola que tem atingido a África Ocidental já causou a morte de 4.922 pessoas, de acordo com a última atualização da OMS, a maioria da Libéria, Guiné-Conacri e de Serra Leoa.

Leia tudo sobre: EbolaquedaLibériaÁfrica OcidentalVírusEpidemiaOMSabrandamentosaúdemortes