Apuração atingiu diversos países

Segundo a chefe da Unidade de Repressão aos Crimes de Ódio e Pornografia Infantil, Diana Calazans, os investigados são de idades e classes sociais variadas

iG Minas Gerais |

As investigações sobre o grupo de pornografia infantil também se estendem para o exterior, segundo a Polícia Federal. A corporação entrou em contato com serviços de inteligência de países da Europa e da América do Norte, mas não especificou quantos e quais.  

Segundo a chefe da Unidade de Repressão aos Crimes de Ódio e Pornografia Infantil, Diana Calazans, os investigados são de idades e classes sociais variadas.

A policial fez um alerta aos pais. “Eles precisam supervisionar o acesso dos filhos à internet. Em algumas situações, os menores são escravizados por pedófilos, que ameaçam divulgar as imagens dessas crianças”.

Penas. Os 11 detidos deverão ser indiciados por produzir, reproduzir, dirigir, fotografar, filmar ou registrar cena de sexo explícito ou pornográfica, envolvendo criança ou adolescente e por vender ou expor à venda o material. Se condenados, as penas podem chegar a 16 anos de prisão. (JC)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave