Trinta homens são fuzilados no Iraque pelo Estado Islâmico

Vítimas foram capturadas quando jihadistas tomaram Hit; eles foram acusados de ser apóstatas

iG Minas Gerais |

Incentivo. Multidão cerca grupo de peshmergas que chegou à Turquia e vai defender Kobani do EI
Associated Press
Incentivo. Multidão cerca grupo de peshmergas que chegou à Turquia e vai defender Kobani do EI

Bagdá, iraque. O grupo extremista Estado Islâmico (EI) executou 30 homens em um paredão de fuzilamento nesta quarta, segundo informações de autoridades e moradores da região oeste do Iraque. Esse é mais um caso de assassinatos em massa organizado pelos militantes que ganham controle sobre o país.

As mortes ocorreram na rua principal do bairro al-Bakir, na cidade de Hit, e tiveram por alvo combatentes sunitas aliados com o governo e membros das forças de segurança. Os extremistas capturaram as vítimas quando conquistaram a cidade. Os homens foram levados em desfile pela cidade, enquanto integrantes do EI alertavam em alto-falantes que eles eram apóstatas – aqueles que renunciam à fé religiosa – que lutaram contra os militantes. As vítimas então foram colocadas em fila e assassinadas com tiros de rifles.

O presidente do conselho da província de Anbar, Sabah Karhout, afirmou que as execuções são “um crime contra a humanidade” e pediu por mais apoio internacional para as tribos sunitas que lutam contra os militantes em Anbar.

Reforço. Na Síria, que também tem parte de seu território dominado pelo EI, um primeiro grupo de 50 combatentes do opositor Exército Sírio Livre (ESL) entrou nesta quarta em Kobani, pela Turquia, para ajudar a defender a cidade dos jihadistas, informou o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH). Os rebeldes chegaram a Kobani, com suas armas e aguardam a chegada dos peshmergas, forças curdo-iraquianas, que no dia anterior haviam chegado ao território turco.

Segundo Ancara, está previsto que cerca de 150 peshmergas entrem em Kobani, além de cerca de 1.300 membros do ELS. A coalizão internacional, comandada pelos Estados Unidos, bombardeou, na madrugada passada, posições dos radicais em um mercado que eles controlam no leste de Kobani.

Batalhas. Enquanto isso, os combates entre o grupo EI e os milicianos curdo-sírios prosseguem. O EI lançou 12 foguetes contra diferentes partes da cidade. Desde o dia 16 de setembro, Kobani é alvo de uma ofensiva do EI e está rodeada por todos seus lados pelos extremistas, exceto pelo norte, na fronteira com a Turquia.

Garoto de 14 anos é preso suspeito de terrorismo Viena, Áustria.Após autoridades austríacas suspeitarem da ligação de um menino de 14 anos com grupos terroristas, ele foi preso. No país, a responsabilidade criminal começa nessa idade. Promotores disseram nesta quarta que o menino estaria planejando viajar para a Síria e teria pesquisado na internet informações sobre como construir bombas. O garoto, de nacionalidade turca e que mora na Áustria há aproximadamente oito anos, foi preso nessa terça à noite. “Ele admitiu que tinha planos de ir à Síria e procurou na internet planos de como construir dispositivos explosivos”, disse Michaela Obenaus, porta-voz de promotores em St. Poelten, à Reuters. O menino será mantido em custódia investigativa por duas semanas. As autoridades locais investigam cerca de 150 pessoas que viajaram da Áustria para se juntar a grupos militantes que atuam na Síria e no Iraque.

Prisão no Peru Um homem suspeito de ter ligação com uma “organização terrorista internacional” não identificada foi preso em Lima, segundo autoridades policiais, nesta quarta. A polícia achou traços de explosivos na casa onde ele foi capturado. Agentes peruanos de combate ao terrorismo tentam determinar a identidade e nacionalidade do suspeito, e se ele estaria realizando atividades ilegais no país.

Libertação Vinte e cinco estudantes curdos que foram sequestrados por jihadistas do EI em maio no norte da Síria foram libertados nesta quarta. A informação é de uma autoridade curda e de um grupo de direitos humanos. “É verdade. Elas foram libertadas (da cidade síria de) Minbij hoje. Essa é a última leva de liberação”, disse o vice-ministro das Relações Exteriores de Kobani, Idris Nassan.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave