Motoboy que matou mulher é julgado

Fernanda desapareceu no dia 20 de fevereiro, após sair para o trabalho

iG Minas Gerais | BERNARDO ALMEIDA |

Um motoboy acusado de matar e enterrar a própria esposa em um terreno baldio de Belo Horizonte, em fevereiro deste ano, foi julgado nesta quarta no Fórum Lafayette, na região Centro-Sul da capital. Gilmar Vitor da Paixão, 37, responde pelo homicídio duplamente qualificado da manicure Fernanda Nagia, 29. Entre os agravantes estão o fato de dificultar a defesa da vítima, o motivo torpe e banal para o crime, além da ocultação de cadáver. Até o fechamento desta edição, o júri ainda não havia sido encerrado.

Fernanda desapareceu no dia 20 de fevereiro, após sair para o trabalho. Três dias depois, o réu publicou na rede social Facebook que estava angustiado com o desaparecimento da companheira. No dia 26, ele admitiu, na mesma página, ter matado Fernanda, alegando que não foi premeditado, mas resultado de uma briga. Um dia depois, ele foi preso pela Polícia Militar na casa da mãe, no bairro Pindorama, na região Noroeste, após denúncia anônima. O motoboy indicou à polícia onde o corpo estava enterrado.

Pelo homicídio, caso seja condenado, o acusado pode pegar de 12 a 30 anos de prisão, além de mais um a três anos de reclusão pela ocultação do corpo.

Outros crimes

Homicídio. Gilmar Vitor da Paixão já foi condenado a 14 anos de prisão por um outro homicídio cometido em 2005. Ele ainda será julgado, em 2015, por um assassinato ocorrido em 2007.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave