PF prende pai e filho foragidos da Operação Athos

Eles eram foragidos da Operação Athos e haviam fugido para a Bolívia; os dois ostentavam o dinheiro conseguido por meio do tráfico de drogas

iG Minas Gerais | Da Redação |

Polícia Federal apreendeu R$ 203.695 e US$ 390.228.
Polícia Federal/Divulgação
Polícia Federal apreendeu R$ 203.695 e US$ 390.228.

A Polícia Federal prendeu na manhã desta quarta-feira (29) pai e filho que haviam fugido para a Bolívia, eles eram foragidos da Operação Athos. Os dois ostentavam o dinheiro conseguido por meio do tráfico de drogas, a ação ocorreu com ajuda da polícia boliviana.

A droga que era adquirida em Juiz de Fora, de um dos maiores traficantes do Brasil que foi preso pela Operação Athos, era revendida para os morros cariocas. Eles estavam morando em um condomínio de luxo em Santa Cruz de la Sierra, rodando em carros de luxo, que também eram usados como moeda de troca na traficância de drogas.

Os presos foram encaminhados para a penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, onde permanecerão à disposição da Justiça. Na mesma unidade prisional, estão detidas outras pessoas presas durante a deflagração da Operação Athos.

Durante as investigações, identificou-se um núcleo responsável por financiar o tráfico de drogas gerido pelos investigados. Um dos integrantes desse núcleo esteve diretamente envolvido em fraude bancária recente, cujos rendimentos totalizaram 120 milhões de reais em um ano. A quadrilha, que era uma das principais distribuidoras de drogas do país, adquiria as mesmas na Bolívia e no Paraguai, trazendo-as de avião para o interior do estado de São Paulo. De lá, a droga era distribuída peloeEstado, além de Minas Gerais, Rio de Janeiro e região Nordeste.

Como tentativa de desarticular o poder econômico da quadrilha, algumas medidas judiciais foram tomadas, como o bloqueio de valores e ativos depositados em instituições bancárias em titularidade de 28 CPFs e quatro CNPJs; sequestro de todos os bens imóveis e veículos em nome das mesmas pessoas físicas e jurídicas; além do sequestro de patrimônio já identificado dos investigados, incluindo cinco aeronaves, quatro lanchas de luxo, um jet-ski, 11 imóveis e 14 veículos. Todo esses bens foram avaliados em cerca de 70 milhões de reais.

Ainda no curso das investigações, a PF apreendeu 594 kg de cocaína (pasta base e cloridrato), cerca de uma tonelada e meia de maconha, uma pistola, calibre .380, munições, seis veículos, um caminhão, 203,7 mil reais, 390 mil dólares, tendo prendido em flagrante 16 pessoas e detido uma, por transporte de numerário advindo do tráfico de drogas.

O nome da Operação Athos vem da mitologia grega. Athos era um dos gigantes, filho de Gaia e Urano, que, em uma batalha, jogou uma montanha sobre Zeus. Daí o significado do nome Athos, “aquele que nada teme”; como parecia ser o espírito dos investigados, tão acostumados à sensação de impunidade que tinham.

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave