Minas procura patrocínios e pode ser novo destino de Jaque

Sem clube desde o ano passado, ponteira da seleção também tenta arrumar meios de disputar Superliga e pode ter Camponesa-Minas como opção

iG Minas Gerais | Da redação |

Jaqueline vem se destacando no Mundial, principalmente na parte defensiva
FIVB - DIVULGAÇÃO
Jaqueline vem se destacando no Mundial, principalmente na parte defensiva

Ainda sem clube, a ponteira Jaque busca meios de participar da Superliga deste ano – fato que deve ter pesar para suas futuras na convocação de seleção. E a jogadora pode encontrar “abrigo” em Minas Gerais, mas especificamente no Minas Tênis Clube. A equipe de Belo Horizonte também está na procura por um patrocínio que poderia bancá-la, segundo informou a assessoria de imprensa.

Por obter nota máxima no ranking, Jaque é uma jogadora cara, e são pouquíssimos os times que poderiam contar com ela. Para piorar a situação, esses clubes já contam com duas atletas na mesma situação, o máximo permitido pelas regras definidas entre os próprios participantes da Superliga, o que resta apenas a ponteira a recorrer a outros caminhos.

A Camponesa-Minas está disposta a encontrar alternativas para ser a nova casa de Jaque. A equipe teria oferecido espaço não só na camisa, mas como nas placas que ficam ao redor das quadras, de acordo com o blogueiro Bruno Voloch, do UOL. No entanto, a assessoria minastenista afirma que ainda não existem conversas com a própria ponteira.

Durante a disputa do Mundial, na Itália, a jogadora chegou a receber uma proposta de 500 milhões para jogar no Japão, valor que está fora do orçamento de qualquer clube brasileiro. Mas para Jaque, o que importa no momento é ficar no País para cuidar do filho Arthur, que nasceu em dezembro de 2013, e criá-lo unto com o pai Murilo, que continua no Sesi-Sp.

Leia tudo sobre: camponesa-minaspatrocíniojaqueseleçãojaquelinemundialpropostaacordo