Ministro de Minas e Energia é chamado a explicar federalização da Celg

A Comissão de Agricultura da Câmara aprovou nesta quarta-feira (29) a convocação de Edison Lobão, para que explique a venda de 51% das ações das Centrais Elétricas de Goiás (Celg) à Eletrobrás

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Antonio Cruz/ABr
undefined

A Comissão de Agricultura da Câmara aprovou nesta quarta-feira (29) a convocação do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, para que explique a venda de 51% das ações das Centrais Elétricas de Goiás (Celg) à Eletrobrás.

Para o autor do requerimento, deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO), a federalização da companhia pode provocar prejuízos aos cofres públicos goiano e “impactar negativamente a distribuição de energia” no estado.

Caiado questiona o valor pago pelo governo federal para aquisição da companhia energética goiana. “O negócio, concluído de forma açodada, se depara com outro grave problema: o de avaliações muito divergentes feitas a respeito do patrimônio da Celg”.

Ele explica que “enquanto para a consultoria Delloite Brasil a empresa vale pífios R$ 400 milhões, estimativas feitas pela Universidade Federal de Goiás calculam o patrimônio da Celg em R$ 6,5 bilhões”.

Com a convocação, o ministro Edison Lobão é obrigado a comparecer à comissão em uma data a ser marcada. Os membros do colegiado aprovaram também requerimento para  audiência pública com a participação do ministro da Agricultura, Neri Geller.

É para esclarecer a decisão do ministério de contratar o laboratório federal Lanagro, em Minas Gerais, para realizar as provas de controle de qualidade das vacinas contra a febre aftosa. Antes, o teste era feito no laboratório Gaúcho.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave