Identificação nos comandos

Luxemburgo e Levir estavam à frente de Urubu e Galo no ano de 1995, exatamente o cenário de agora

iG Minas Gerais | Thiago Prata |

PEDRO MARTINS/AE – 18.10.2014
undefined

Nesta noite, o Maracanã será palco de um duelo que tem tudo para entrar na lista dos mais épicos do novo século. Rivais em âmbito nacional e protagonistas de jogos lendários ao longo da história – sobretudo nos anos 70 e 80 –, Flamengo e Atlético se enfrentam a partir das 22h, no primeiro capítulo da luta por uma vaga na decisão da Copa do Brasil.

Será também uma queda de braço entre duas mentes brilhantes que ficaram um pouco apagadas nos últimos, mas que conseguiram reinventar duas equipes que passaram maus bocados no primeiro semestre. Graças a Levir Culpi e Vanderlei Luxemburgo, Galo e Urubu subiram de produção na segunda metade da temporada e se transformaram em postulantes à vaga na próxima Libertadores.

Levir ousou ao escalar o alvinegro com apenas um volante de ofício e dar a cada atleta do setor ofensivo a obrigação de colaborar com a defesa. O resultado da receita foram várias epopeias, como o ingresso do Atlético no G-4 do Brasileirão e a emocionante classificação para as semifinais da Copa do Brasil, após a goleada sobre o Corinthians, por 4 a 1, no Mineirão.

Já Luxa limpou a casa do Fla, afastou jogadores e estendeu a mão para renegados, como o lateral Anderson Pico. Graças a isso, o Flamengo deixou a lanterna da Série A rumo ao meio da tabela e chega forte na briga com o Galo.

Hoje, Levir Culpi e Vanderlei Luxemburgo se enfrentarão como num jogo de xadrez. O campo do Maracanã será o tabuleiro. Os atletas, as peças. Resta saber qual estratégia irá prevalecer. “Um jogo que será muito bom, com duas grandes equipes. O Flamengo tem um grande treinador e está mais focado. E nós queremos chegar a uma final inédita de Copa do Brasil e conquistar esse título. Nos acostumamos a jogar nesse novo esquema do Levir. Temos tudo para fazer um grande jogo no Maracanã”, sintetizou o goleiro Victor.

Alguns fatos curiosos rondam as carreiras de Levir e Luxa. Em 1995, os dois comandavam exatamente as mesmas equipes que dirigem atualmente. No ano seguinte, no entanto, enfrentaram numa decisão de Copa do Brasil. Naquela oportunidade, o Cruzeiro, de Levir Culpi, superou o Palmeiras, de Vanderlei Luxemburgo.

De lá para cá, ambos seguiram caminhos opostos. Levir não conseguiu tantos feitos desde então, apesar do reconhecimento no Japão. Já Vanderlei se tornou referência no cenário nacional, porém, teve uma queda desde meados da década passada. Neste ano, os holofotes voltaram para eles, que aspiram um título para fechar 2014 com chave de ouro.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave