Sistema impõe obstáculo para doações de medula

Para familiares de pacientes, horário reduzido de coleta inibe candidatos

iG Minas Gerais | Bárbara Ferreira |

Obstáculo.  Merdely Marques e Edson Eustáquio, pais de Samuel, fazem campanha e denunciam dificuldades
FERNANDA CARVALHO / O TEMPO
Obstáculo. Merdely Marques e Edson Eustáquio, pais de Samuel, fazem campanha e denunciam dificuldades

O número de pacientes que realizaram o transplante de medula óssea em Minas Gerais neste ano já superou em 62% o de 2013. No ano passado, 61 pessoas foram transplantadas, e em 2014, até o dia 31 de setembro, já foram 99 operações realizadas. Houve um avanço nos números, mas ainda existem pessoas aguardando por um doador. Os horários são restritos, e famílias de pacientes da fila pedem expansão no número de locais aptos a esse tipo de procedimento.

O menino Samuel Marques Teodoro Silva, 3, é portador de um tipo raro de leucemia e luta contra a doença desde abril do ano passado, quando foi diagnosticada a doença. Depois de várias tentativas, há quatro meses ele foi incluído na lista para receber o transplante de medula óssea. Enquanto aguarda por um doador, a sua situação se agrava, e, atualmente, ele está internado.

Tentando salvar Teodoro, a família tem feito campanhas, mas esbarra em algumas deficiências do sistema, como a restrição do horário de cadastro de doadores e a impossibilidade de uma coleta externa – já que só estão abertos os pedidos para o ano que vem. “Distribuímos 10 mil panfletos semanalmente, e já consegui pelo menos 300 pessoas para fazer o exame, mas nenhuma era compatível. O problema maior é que nem todos os que se disponibilizaram conseguiram fazer a coleta”, reclama a dona de casa Mardely Marques Rodrigues, 38, mãe da criança.

Em Minas Gerais, 30 pessoas lutam hoje para conseguir um doador de medula. A dificuldade maior é encontrar alguém compatível, já que, de acordo com a coordenação do Hemominas, o cadastro de doadores já está próximo da meta definida pelo Registro Brasileiro de Doadores Voluntários de Medula Óssea para o Estado.

Segundo o coordenador do hemocentro de BH, Marcelo Fróes, existe uma pessoa responsável exclusivamente pela coleta na parte da manhã. O serviço acontece de segunda a sexta-feira – segundo ele, no sábado o foco são as doações de sangue – das 7h às 13h.

Registro

Meta. De acordo com o coordenador do hemocentro da capital, Marcelo Fróes, faltam cerca de 300 cadastros para que o Estado atinja a meta sugerida pelo Ministério da Saúde.

Doadores na capital e no Estado

440 doadores se cadastraram na capital neste mês

29 é a média de doadores por dia em Belo Horizonte

30,8 mil é a meta anual do Redome em Minas Gerais.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave