Comoção marca chegada de caixões em velório coletivo em Borborema

Uma criança e um adolescente precisaram ser socorridos por enfermeiros e pelo Corpo de Bombeiros logo após o primeiro caixão ser aberto

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Aplausos e choros desesperados marcaram a chegada ao ginásio municipal de Borborema (a 377 km de São Paulo) dos caixões com os corpos das vítimas de um acidente que deixou 11 mortos na noite desta segunda-feira (27).

Segundo a Polícia Militar, cerca de 5 mil pessoas passaram pelo local até as 20h30, onde é realizado o velório coletivo.O primeiro caixão a chegar foi o que tinha o corpo da estudante Gabriela Cristina da Silva Rodrigues, 17, caçula de três irmãs.

Uma criança e um adolescente precisaram ser socorridos por enfermeiros e pelo Corpo de Bombeiros logo após o caixão ser aberto. Em seguida, chegou o caixão com o corpo da professora Márcia Martins Carvalho Biasotto, que permaneceu fechado.

"Ela cuidava tanto destas crianças", disse o prefeito Virgilio do Amaral Filho (PSDB).

As outras professoras mortas, Margarete Aparecida Lucas dos Santos e Marisa Aparecida Mansano dos Santos, que era diretora de uma escola municipal e mãe de aluno, também foram homenageadas.

As cenas se repetiram a cada caixão que chegava. O último caixão chegou às 20h30, com o corpo do estudante José Vinicius Francisco Anzolin, 17, última vítima a ser encontrada em meios aos escombros do acidente.

Segundo relatos de amigos, Vinícius queria ser escritor e era fã de John Green, autor do livro "A Culpa é das Estrelas".

No ginásio são velados os corpos de dez vítimas. O corpo da professora Roseneide Aparecida Casetta Montera está sendo velado em Itápolis (a 353 km de São Paulo).No final da tarde, estudantes se reuniram na praça central da cidade para prestar uma homenagem aos colegas.

"O que podemos fazer agora é agradecer por estarmos vivos e pedir força para os familiares dos que ficaram", disse o estudante Kaique Luiz Santos da Silva, 15. Ele estava no ônibus na hora do acidente e saiu ileso.

O secretário de Estado da Educação, Herman Voorwald, também esteve no velório. "É de se lamentar que estes estudantes estiveram envolvidos nesta tragédia", afirmou. A Defesa Civil do Estado também foi convocada para acompanhar e prestar apoio à cerimônia. Não há previsão de quando as aulas na escola estadual Dom Gastão Liberal Pinto serão retomadas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave