Por derrubada de conselhos populares, oposição ameaça travar votações

Líderes do PSDB, DEM, PPS e Solidariedade acertaram que vai travar as votações na Câmara enquanto a matéria não for apreciada

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

 Num almoço que teve no cardápio o balanço das eleições, a oposição decidiu nesta terça-feira (28) priorizar a votação do projeto que suspende o decreto da presidente Dilma Rousseff que vincula decisões de interesse social à opinião de conselhos e outras formas de participação popular.

Líderes do PSDB, DEM, PPS e Solidariedade acertaram que vão travar as votações na Câmara enquanto a matéria não for apreciada. O acordo foi informado por telefone ao PSB, que deve apoiar o entendimento.

A derrubada do decreto tem apoio do PMDB e de outros partidos aliados do governo. O decreto é alvo de ataques da oposição e do Congresso -que acusam o governo de tentar aparelhar politicamente órgãos públicos e de usurpar funções do Legislativo.

Segundo o líder do PSDB, Antônio Imbassahy (BA), a iniciativa é para mostrar força do Parlamento. "Nós faremos obstrução total enquanto não for analisado o decreto que suspende os conselhos", afirmou o tucano.

No encontro, os oposicionistas também decidiram discutir uma candidatura própria para a Presidência da Câmara. Até agora, a candidatura que é dada como certa é do líder do PMDB, Eduardo Cunha (RJ). O PT também deve lançar um nome.

"Consideramos essa possibilidade [de candidatura oposicionista]. Temos que retomar a autonomia do Congresso, garantir investigações da Petrobras, uma imprensa livre", disse.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave