Corte italiana nega extradição de Pizzolato, que deve ser solto

O julgamento começou por volta das 10h30 (8h30 de Brasília); ao final de quatro horas, os três juízes se retiraram da sala de audiência para deliberar durante duas horas

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

 A Corte de Apelação de Bolonha (norte da Itália) negou a extradição do ex-diretor de marketing Banco do Brasil Henrique Pizzolato.

O julgamento começou por volta das 10h30 (8h30 de Brasília). Ao final de quatro horas, os três juízes se retiraram da sala de audiência para deliberar durante duas horas.

O Ministério Público italiano, que representa o governo brasileiro que requereu a devolução do condenado, deve recorrer para a Corte de Cassação, a mais alta instância do Judiciário italiano De acordo com Michele Gentiloni, advogado contratado pelo governo brasileiro, disse que Pizzolato pode ser solto ainda nesta terça.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave