Acácio comemora foco maior do MOC na parte física

Preferência do antigo treinador pela parte técnica fez central perder tempo no que era o ideal para o começo de temporada

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

ESPORTES
JOAO GODINHO /O TEMPO
ESPORTES

 

Peça importante do primeiro título brasileiro do Sada Cruzeiro, na temporada 2011/2012, o central Acácio vive um momento diferente na carreira, mas que não o impede de acreditar em dias melhores.

Depois de atuar no Ziober-Maringá-PR na última temporada, nesta ele voltou a vestir a camisa do Montes Claros Vôlei, time que defendeu na melhor época da equipe, quando um vice-campeonato da Superliga foi conquistado em 2010.

Com 36 anos, a voz da experiência fala mais alto, ciente de que o físico é fundamental para ele exercer seu papel da melhor forma. "A gente vai ficando mais velho e fica complicado acompanhar o resto do grupo, que possui alguns jovens. A parte física torna-se uma luta diária, de extrema importância para toda a temporada", indica.

No começo do trabalho, sob o comando do então treinador Schwanke, Acácio recebeu uma notícia inesperada, que foi na contramão da sua necessidade. "Ele me falou sobre sua filosofia e que não daria tanta ênfase na parte tática e física. Respeitei a ideia e a comprei. Mas, acredito que quando se tem um campeonato longo e difícil como a Superliga, o físico acaba fazendo a diferença", relata.

Ao ver que sua necessidade não era uma prioridade, Acácio viu sua presença no time titular ainda mais distante. "Acabei não alcançando os melhores resultados e não participando de jogos ativamente. Mas isso agora está mudando", comemora.

A chegada do novo técnico, Marcelinho Ramos, abriu uma janela de esperança para o jogador. "Agora estou em melhores condições de disputar uma vaga. Minha parte física melhorou e agora só depende da opção  do Marcelo", completa.