Momento de conciliação

iG Minas Gerais |

“Chegou o momento de sarar as feridas. Chegou o momento de transpor os abismos que nos dividem. Chegou o momento de construir. Temos que agir em conjunto, como um povo unido, pela reconciliação nacional”. Nelson Mandela, discurso de posse, 10 de maio de 1994. “Por que havemos de odiar e desprezar uns aos outros? Neste mundo há espaço para todos. A terra, que é boa e rica, pode prover todas as nossas necessidades. Não odieis. Só odeiam os que não se fazem amar; os que não se fazem amar e os inumanos”. Charles Chaplin, discurso final de “O Grande Ditador”, 1940. “Renunciemos, assim, à presunção de viver sem adversários que, em verdade, funcionam sempre como fiscais e examinadores de nossos atos, mas saibamos continuar em serviço, aproveitando-lhes o concurso sob a paz em nós mesmos. Nem o próprio Cristo escapou de semelhantes percalços”. Emmanuel/Francisco Cândido Xavier, em “Palavras de Vida Eterna”, 1986. “Reconcilia-te depressa com o teu adversário, enquanto estás no caminho com ele”. Jesus, em Mateus, 5:25. “Sem rancor para com pessoa alguma; com caridade para todos; com firmeza no direito. Assim como Deus nos dá a faculdade de ver o que é direito, tratemos de esforçar-nos para concluir o trabalho em que estamos empenhados; (...) para fazer tudo o que possa conseguir e acarinhar uma paz justa e duradoura”. Abraham Lincoln, discurso de posse para o segundo mandato após a Guerra de Secessão, 4 de março de 1865. “Olho por olho, e o mundo acabará cego. (...) Quando me encontro em desespero, lembro que, em toda a história, a verdade e o amor sempre venceram”. Mahatma Gandhi, discurso pela resistência pacífica dos indianos em favor da independência, agosto de 1942. “Com esta fé, nós poderemos cortar da montanha do desespero uma pedra de esperança. Com esta fé, nós poderemos transformar as discórdias estridentes de nossa nação em uma bela sinfonia de fraternidade. Com esta fé, nós poderemos trabalhar juntos, rezar juntos, lutar juntos”. Martin Luther King, no discurso “I have a dream”, 28 de agosto de 1963. “Ressaltei que considero que a maior de todas as prioridades deve ser unir o Brasil em torno de um projeto honrado e que dignifique todos os brasileiros”. Aécio Neves (PSDB), relatando o teor do telefonema que deu à rival após a confirmação do resultado, no domingo à noite. “Conclamo, sem exceção, a todas as brasileiras e brasileiros para nos unirmos em favor do futuro de nossa pátria. Creio que elas (eleições) mobilizaram ideias e emoções às vezes contraditórias, mas movidas por um sentimento comum: a busca por um futuro melhor”. Dilma Rousseff (PT), no discurso de comemoração da reeleição, também na noite de domingo. Bom trabalho desde já, presidente.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave