A voz da Massa

iG Minas Gerais |

Saudações alvinegras! É tremenda a capacidade de superação demonstrada pelo Galo nesta temporada, no Brasileirão e na Copa do Brasil. Eu já disse isso em outras ocasiões aqui, mas a cada vez que o nosso Galão vai lá e se levanta das cinzas, como fez no jogo com o Sport, é uma emoção nova que eu preciso compartilhar com vocês. O time já entrou com 14 desfalques, inclusive, sem os principais craques. Começou perdendo o jogo. No início da segunda etapa, ficou sem o goleiro Victor, que foi expulso. Teve que atuar o restante da partida com um homem a menos. E ainda sim venceu! O Galão passou por cima de tudo e de todos e conquistou uma vitória importantíssima, se mantendo no G-4 e podendo ainda brigar pelo título!  Por tanta emoção, aqui vai o meu reconhecimento, endossado pela Massa, do ótimo trabalho dos nossos jogadores e do grande Levir Culpi.

A voz Celeste

Saudações celestes, nação azul. Amanhã o Santos vem ao Mineirão enfrentar o Cruzeiro pela Copa do Brasil, e  a única coisa que nos interessa é a vitória. Tem que ser uma vitória daquelas de brilhar os olhos da torcida celeste. Estou cobrando? Sim, estou, porque não estamos mais assistindo ao grande Cruzeiro que chegou à liderança do Brasileiro e às semifinais da Copa do Brasil. Poxa, Hugão, mas você vai ficar cornetando? Isso não é cornetar, é comentar um fato concreto e pedir uma mudança de postura, uma retomada. Confio no tetra brasileiro e no penta da Copa do Brasil, mas serei como o pai que corrige com palmada disciplinadora e dá injeção para que nada venha atrapalhar as conquistas de seu filho. Eu tenho certeza que a nação celeste vai assistir ao retorno do magnífico futebol celeste, com qualidade, técnica, troca de passes envolventes e muitos gols.

Avacoelhada

O time americano recuperou a competitividade perdida devido à irregularidade de Eduardo. Sob o comando de Givanildo, as ligações diretas entre defesa e ataque diminuíram. Com a participação de Adalberto, além do aumento da segurança defensiva ao lado de Vitor Hugo, a saída de bola ficou mais bem trabalhada, sem o excessivo uso de chutões. Gilson assumiu a condição de principal meia-atacante. Qualificou o poder criativo, as finalizações e marcou gols. Renan Oliveira, Tchô e Mancini tiveram bons momentos, mas precisam ser mais produtivos na organização das jogadas. Willians, na função de atacante agudo, poderá aumentar a força ofensiva se for mais eficiente nas finalizações. Outros pontos de melhoria: Leandro Guerreiro e Andrei desarmarem na intermediária; Pablo e Raul acertarem mais passes e cruzamentos precisos da linha de fundo. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave