Dupla usa documento de ex-jogador de futebol para dar golpe e é presa

Suspeitos usaram os dados de um ex-jogador de futebol que foi campeão mundial pelo São Paulo na década de 90 para alugar artigos de festa

iG Minas Gerais | Bruna Carmona / Camila Bastos |

Estão presos dois homens suspeitos de usar dados de outras pessoas para aplicar golpes em lojas de materiais de festa em Belo Horizonte. Entre os documentos usados pelos estelionatários estava uma carteira de motorista em nome do ex-jogador de futebol Ronaldo Rodrigues de Jesus, o Ronaldão, que foi campeão mundial pelo São Paulo na década de 90. Ronaldão também jogou no América e no Cruzeiro.

Segundo o delegado Jonas Andrade Pavan, os suspeitos alugavam material de festa usando documentos falsos e revendiam os produtos. O crime foi descoberto pelo funcionário de uma loja de festas na região do Barreiro, onde os suspeitos tentaram aplicar o golpe.

No dia 23 de outubro, eles foram até o estabelecimento e alugaram 20 conjuntos de mesas com quatro cadeiras cada, pelo valor de R$ 140. No dia seguinte, ligaram para a loja e pediram mais 20 conjuntos, mas não concordaram com o valor do frete cobrado pelo estabelecimento e informaram que mandariam um carreto para buscar as mesas.

Foi aí que o gerente de atendimento Adenilson Batista Alves, de 32 anos, desconfiou da situação e procurou a dona da loja. “Resolvi conversar com a minha chefe e nós pesquisamos sobre a pessoa", contou. As buscas retornaram o nome de Ronaldão e os funcionários entraram em contato com ele, que negou ter feito o aluguel. A dona da loja, então, acionou a polícia.

Os suspeitos foram presos no local onde marcaram de se encontrar com o carreteiro contratado para buscar as mesas. Segundo o delegado, F.S., de 26 anos, tem quatro passagens pela polícia por estelionato e uma por tráfico e foi preso pela última vez em maio deste ano. Já D.P., de 33 anos, tem passagem por tráfico. No carro em que os suspeitos estavam foram apreendidos vários documentos e um contrato de locação com uma loja de Juiz de Fora, também em nome de Ronaldão.

A polícia investiga a existência de um terceiro integrante na quadrilha, um homem que tem entre 45 e 50 anos, e que aparece na foto do documento com os dados do ex-jogador. Enquanto o caso é apurado, os dois homens que já foram presos cumprem prisão temporária no Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp) Gameleira. Eles devem responder pelos crimes de formação de quadrilha e estelionato.  

Leia tudo sobre: golpedocumentobarreiro