Combate à poliomielite

iG Minas Gerais |

Vemos diariamente notícias alarmantes sobre doenças como ebola e febre Ccikungunya, e nos sentimos cada vez mais impotentes na luta contra essas enfermidades silenciosas e arrasadoras. E se você soubesse que pode ajudar a erradicar de vez uma doença que já provocou a morte ou a paralisia em inúmeras crianças no mundo? É isso o que o Dia Mundial de Combate à Poliomielite, comemorado no dia 24 de outubro, representa – uma data para conscientização da população sobre a importância de apoiar a erradicação da doença. A poliomielite, conhecida como paralisia infantil, está erradicada em quase todos os países, exceto em Nigéria, Afeganistão e Paquistão. Mas é preciso que as pessoas se unam para não deixar que essa doença volte e se dissemine para outros países. Pessoas comuns podem contribuir com a causa, encabeçada pelo Rotary, organização internacional sem fins lucrativos que criou o programa End Polio Now e recebe apoio de pessoas do mundo todo pelo site www.endpolionow.org/pt. O programa é uma parceria público-privada que conta com a colaboração de Organização Mundial da Saúde, Centro Norte-Americano de Controle e Prevenção de Doenças, Unicef e Fundação Bill e Melinda Gates. O número de novos casos da poliomielite, doença que costumava paralisar mais de mil crianças por dia, diminuiu mais de 99% desde os anos 80. Mais de 2,5 bilhões de crianças foram vacinadas, e mais de 69,6 mil pessoas já estão apoiando o Rotary na iniciativa. O Rotary, uma organização humanitária com cerca de 34.000 clubes em mais de 200 países e áreas geográficas, fez da erradicação da poliomielite sua prioridade em 1985. Desde então, contribuiu com U$ 1,2 bilhão para causa, e seus associados dedicaram inúmeras horas de trabalho voluntário para ajudar na vacinação de 2 bilhões de crianças em 122 países. Um progresso notável foi alcançado. O número de casos da doença passou de 350 mil por ano, em 1988, para menos de 700 em 2011. As Américas foram declaradas livres da doença em 1994, a região do Pacífico Ocidental, em 2000 e a Europa, em 2002. Altamente contagiosa, a doença afeta crianças, sobretudo menores de 5 anos. Não há cura para a poliomielite, que pode causar paralisia e morte. No entanto, por apenas U$ 0,60, uma criança pode ser vacinada e ficar protegida. E agora cada doação tem impacto ainda maior: de 2013 a 2018, cada dólar que o Rotary se comprometer a usar para a erradicação da poliomielite será equiparado na proporção de dois para um pela Fundação Bill e Melinda Gates. Hoje o Rotary tem apoio de milhões de pessoas, dentre elas algumas celebridades, que fizeram parte da campanha “Falta Só Isto para acabarmos com a pólio”, o Maior Comercial do Mundo, segundo “Guinness Book”. Isabelli Fontana, Bill Gates, Psy, Jackie Chan, Arcebispo Desmond Tutu, Michel Teló, Renato Aragão e o cantor Daniel são algumas delas. Saiba mais sobre o comercial em http://thisclose.endpolio.org/pt. Se conseguirmos erradicar a poliomielite, dezenas de outras doenças poderão seguir o mesmo caminho. Luisa Naves - Rotary Club BH Liberdade - Imagem Pública Distrito 4.760

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave