Médico com ebola em Nova York tem novos sintomas

Paciente entrou em nova fase da doença, mas autoridades não disseram se saúde dele piorou

iG Minas Gerais |

Isolamento. Funcionários descarregam material hospitalar no prédio onde o doutor Craig está isolado
Richard Drew/AP
Isolamento. Funcionários descarregam material hospitalar no prédio onde o doutor Craig está isolado

Nova York. EUA. O médico diagnosticado com ebola em Nova York após voltar da África Ocidental, Craig Spencer, passou a enfrentar sintomas gastrointestinais e “está entrando na próxima fase de sua doença”, disseram autoridades do setor de saúde da cidade. Na sexta-feira, os médicos do Bellevue Hospital Center começaram a administrar um tratamento de plasma em Spencer, algo semelhante ao utilizado em pacientes com ebola em Atlanta e Nebraska, de acordo com a Health and Hospitals Corp. (HHC), que opera o Bellevue e outros hospitais públicos da cidade.

Autoridades disseram que as alterações nos sintomas eram previstas, mas não afirmaram se a condição do médico está piorando. “Vimos, com esta doença, que ela continua a piorar antes de melhorar”, disse Mary Travis Bassett, comissário de saúde da cidade de Nova York, em uma entrevista. Autoridades declararam também que os médicos do paciente estão em contato constante com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças e outros centros médicos importantes que têm tratado os pacientes com ebola, como a Universidade de Emory e o Nebraska Medical Center. “O paciente está acordado e se comunicando”, de acordo com um comunicado da HHC.

Monitoramento. O governador da Florida, Rick Scott, determinou que fossem feitos monitoramentos duas vezes por dia em qualquer pessoa vinda de locais que o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDCs, na sigla em inglês) determinou como afetados pelo ebola. Scott assinou a ordem no sábado, dando ao Departamento de Saúde da Flórida autoridade para monitorar os indivíduos durante 21 dias.

De acordo com o governador, a administração pediu que o CDC identificasse os níveis de risco de indivíduos vindos de partes específicas da Guiné, Libéria e Serra Leoa, mas não recebeu qualquer informação. O governador afirmou que estava agindo com abundância de cautela após a notícia de que um médico em Nova York testou positivo para ebola depois de cuidar de pacientes na África. Nova York, Nova Jersey e Illinois introduziram políticas de quarentena semelhantes nos últimos dias.

Bastidores

Reunião. O presidente Barack Obama se reuniu neste domingo com a equipe de combate ao ebola no país. O governo do presidente americano afirmou que está preocupado com as quarentenas adotadas no país para controlar o vírus.

Embaixadora da ONU na África Nova York, EUA. A embaixadora americana na Organização das Nações Unidas (ONU), Samantha Power, vai visitar os três países da África Ocidental mais atingidos pelo surto de ebola em meio a crescentes pedidos de restrições de viagem. A visita tem como objetivo “chamar a atenção para a necessidade de um maior apoio à resposta internacional”, afirmou um comunicado divulgado no sábado pela missão norte-americana. A ONU tem pedido repetidamente uma maior resposta internacional à pior epidemia da doença, que matou mais de 4.900 pessoas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave