Apoiadores de Aécio comentam sua derrota na corrida presidencial

Para o ex-jogador de vôlei Geovane Gávio, "ele tinha uma proposta melhor para o momento conturbado que estamos vivendo no país"; o estilista Ronaldo Fraga disse que "esta campanha foi marcada pela calúnia e pelo medo"

iG Minas Gerais | Denise Motta/Gustavo Lameira |

O ex-jogador de vôlei Geovane Gávio, que se candidatou ao cargo de deputado federal por Minas, pelo PSDB, lamentou a derrota de Aécio Neves na corrida presidencial.

Para ele, Aécio é um amigo e uma das pessoas que mais admira. "Eu criei uma expectativa por entender que ele tinha uma proposta melhor para o momento conturbado que estamos vivendo no país". Sobre a diferença de cinco pontos percentuais de vantagem em Minas para a adversária do PT, a presidente Dilma, o político disse que, historicamente, os presidentes eleitos são aqueles que são bem votados em Minas.

"Faltaram três milhões de votos (risos). O importante é que ele se posicionou como um grande líder. e com a idade que ele tem, pode tentar de novo", concluiu o tucano, que não conseguiu se eleger deputado federal.

Ronaldo Fraga

O estilista Ronaldo Fraga, achou "maravilhoso" este momento histórico e democrático, apesar de considerar esta uma campanha suja. "Acho que a alternância de poder era importante para o país. Votei na Dilma em 2010 e ainda estou esperando que ela faça o que prometeu. E espero que faça agora".

Para ele não faltou nada para Aécio. "O que aconteceu foi que esta campanha foi marcada pela calúnia e pelo medo. Escândalos como o da Petrobras não tiveram o peso necessário, principalmente aqui em Minas. Mas penso que o Brasil está no caminho. Estamos no processo democrático, estamos aprendendo analisar", disse.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave