Simão Jatene, do PSDB, é reeleito governador do Pará

Candidato derrotou Helder Barbalho, do PMDB

iG Minas Gerais | Da redação |

Simão Jatene (PSDB) reelegeu-se neste domingo (26) governador do Pará. O tucano exercerá o cargo pela terceira vez. Com 97% das seções apuradas no Estado, Jatene somava 52% dos votos, e não podia mais ser superado por Helder Barbalho (PMDB), que tinha 48%. Helder vencera o primeiro turno com apenas 50 mil votos (um ponto percentual) de frente.

A eleição no Pará foi marcada pelos ataques mútuos entre os candidatos e pelo equilíbrio nas preferências do eleitorado. Jatene, 65, recebeu forte apoio de Aécio Neves (PSDB) no segundo turno. O presidenciável passou em branco no primeiro turno na disputa local, mas tornou-se presença obrigatória na segunda fase -estampou peças publicitárias e fez campanha em Belém.

Em sua campanha, Jatene enfatizou a ideia de que "perdeu" seus dois primeiros anos de governo para arrumar as contas do Estado. Planos para a educação, reforma de estradas e políticas de saúde e segurança no interior foram suas principais bandeiras na campanha.

Artilharia

Ainda no primeiro turno, foi alvo de acusações de Helder, que apresentou gravação de 2011 em que uma filha do governador pedia ao subsecretário de Receita uma lista de empresas para "buscar um dinheirinho".

Os tucanos disseram que a gravação foi tirada de contexto, omitindo o momento em que a filha de Jatene diz que o dinheiro financiaria um programa social do governo. O episódio abriu a artilharia da campanha, com contra-ataques de Jatene, que passou a associar Helder ao pai.

Chamava sempre o rival de "Barbalho", em contraponto à estratégia da campanha do PMDB, que apresentava o "Helder". "Quem conhece Helder não vota em Barbalho" foi um slogan tucano. Outra queixa recorrente de Jatene foi o uso do Grupo RBA de comunicação, da família Barbalho, por ataques contra a atual administração.

No Pará, Aécio obteve 27,5% dos votos do primeiro turno, ante 53,51% de Dilma. Marina Silva (PSB), terceira colocada na disputa (16,3%), declarou seu apoio a Jatene no segundo turno, e participou de ato público em Belém.

A coligação de Jatene também alvejou o vice de Barbalho, o deputado federal Lira Maia (DEM), um dos responsáveis pelo projeto de dividir o Pará em outros dois Estados. A ideia foi rejeitada pela população em plebiscito realizado em 2011.

Leia tudo sobre: eleições 2014