Aécio diz que PT fez 'terrorismo' para permanecer no poder

Candidato tucano ainda declarou que soube da internação de Alberto Yousseff e que ele "continue bem, para dizer ao Brasil tudo o que sabe"

iG Minas Gerais | Da redação |

Aécio demorou cerca de 8 segundos para votar
Reprodução Twitter
Aécio demorou cerca de 8 segundos para votar

No último pronunciamento antes do fechamento das urnas, o presidenciável Aécio Neves (PSDB) acusou o PT de fazer "terrorismo" para permanecer no poder. "Mas o Brasil acordou. O Brasil foi às ruas para dizer que quer ser dono do próprio destino".

O tucano disse estar "emocionado" em ter "contribuído de alguma forma" para esse movimento. A fala foi uma referência às diversas passeatas de apoiadores de Aécio que ocorreram no país neste sábado (25).

Aécio disse estar "com uma confiança serena" na vitória. Ele afirmou que, apesar de a disputa acirrada apontar para um país dividido, tem mais condições do que a presidente Dilma Rousseff (PT) de "unir a nação".

"Me vejo em muito melhores condições do que ela, até pelas armas que ela usou. Vamos mostrar que manteremos os programas sociais, que vamos cumprir todos os compromissos que assumimos. Estou pronto para ser o presidente da união nacional e de um novo ciclo", afirmou.

Yousseff

Aécio comentou a internação do doleiro Alberto Yousseff, delator do esquema de corrupção na Petrobras. Ele disse que foi informado do caso pelo governador Beto Richa, do Paraná.

"A última informação que tive era de que ele estava bem. E espero que continue bem, para dizer ao Brasil tudo o que sabe", afirmou.

Desde a internação de Yousseff uma onda de boatos se espalhou pela internet com especulações sobre o que levou o doleiro a passar mal seu atual estado de saúde. Aécio disse ainda não contar com a abstenção como fator determinante para a eleição. "O que eu quero, como cidadão, é que todos votem".

Leia tudo sobre: eleições 2014Aécio NevesPTYousseff