Minas à espera de respostas

Mineiros querem que novo presidente, petista ou tucano, seja capaz de tirar promessas do papel

iG Minas Gerais | Tâmara Teixeira |

Os brasileiros amanhecem neste domingo sob o mistério de quem sairá vencedor da eleição mais disputada na história recente do Brasil. Os 20 milhões de mineiros acompanharão a abertura das urnas no mesmo clima de suspense, mas com duas certezas: a primeira é a de que o eleito ou eleita será um belo-horizontino. A segunda é sobre a lista de prioridades para o Estado.

A expectativa em Minas é que o próximo presidente seja capaz de tirar do papel a concretização de obras que são aguardadas há décadas depois de promessas não cumpridas. No total, as intervenções somam R$ 14 bilhões.

Na ponta da língua, estão as demandas de ampliação do metrô de Belo Horizonte, que há anos não avança um único centímetro, a revitalização do Anel Rodoviário e a duplicação da BR–381, que, finalmente, começou a ser executada.

Mas a dívida da União com o Estado natal de Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) não se restringe às intervenções na área de mobilidade. Em diversas regiões do Estado, mineiros aguardam por obras de contenção de água de chuva e a construção de barragens que poderão socorrer os mineiros do Norte.

Os motivos para os atrasos já históricos são muitos: falta de recursos, divergências com o governo do Estado, licenciamento ambiental e processos de desapropriação. Cansados de ouvir justificativas, os mineiros esperam que o próximo gestor inove ao trocar promessas por tijolos, concreto e “homens na pista”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave