TSE pode julgar hoje direito de resposta contra "Veja"

Segundo Toffoli, "o direito de resposta que está apresentado não diz respeito ao horário eleitoral gratuito, diz respeito a uma edição de uma revista semanal"

iG Minas Gerais | Da redação |

Capa da revista
Divulgação
Capa da revista "Veja" com denúncia contra Dilma e Lula no caso da Petrobras.

O presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), José Antonio Dias Toffoli, afirmou neste sábado (24) que a corte pode julgar ainda hoje um pedido de direito de resposta feito pela candidatura de Dilma Rousseff contra a revista "Veja". A sessão extraordinária da corte está prevista para começar às 12h.

Segundo a  nova edição da revista semanal, o doleiro Alberto Yousseff afirmou durante sua delação premiada que Dilma e o ex-presidente Lula sabiam dos desvios que ele ajudou a operar na Petrobras. Os petistas negam, dizem que a publicação não apresentou provas do que afirma e que irão acioná-la na Justiça.

Segundo Toffoli, "o direito de resposta que está apresentado não diz respeito ao horário eleitoral gratuito, diz respeito a uma edição de uma revista semanal". Ele, que não é relator do processo, não soube detalhar como a resposta seria veiculada, caso o pedido seja aceito.

As declarações foram dadas após uma cerimônia em que o sistema digital de totalização dos votos no segundo turno foi verificado - nenhum problema foi encontrado.

BIOMETRIA Ainda de acordo com Toffoli, os problemas enfrentados por algumas seções eleitorais em que as urnas tinham sistemas biométricos de identificação não irão se repetir.

"No DF, tivemos problemas em alguns equipamentos de identificação biométrica. Esses equipamentos foram trocados. No Rio de Janeiro, na cidade de Niterói, houve a necessidade de encaminhar uma equipe do TSE para uma melhor orientação dos mesários. Da nossa parte,. temos certeza que aqueles problemas identificados no primeiro turno já foram saneados, ou seja, não teremos maiores dificuldades nessas localidades."

Sobre o resultado do pleito, o ministro afirmou que, apesar de prever divulgar o vencedor às 20h de domingo (devido ao horário eleitoral), "só Deus sabe que horas vai estar no computador somado". 

Folhapress

Leia tudo sobre: TSEJustiçaVejadireito de respostaDilma