Experiência aliada à juventude

Com Carol Gattaz e Walewska, time da Camponesa-Minas tentará voos mais altos na Superliga

iG Minas Gerais | Débora Ferreira |

Prontas. Time feminino do Minas se apresenta para a temporada, ainda sem os reforços de Carol Gattaz e Mari Paraíba, que chegaram depois
FERNANDA CARVALHO / O TEMPO
Prontas. Time feminino do Minas se apresenta para a temporada, ainda sem os reforços de Carol Gattaz e Mari Paraíba, que chegaram depois

A Camponesa-Minas terá um equilíbrio maior nesta temporada. A chegada de experientes atletas, que já passaram pela seleção, como Walewska e Carol Gattaz, somada a jovens promessas que também integram as categorias de base nacionais, deixa o time mais consistente em relação ao ano anterior.

Embora a equipe não tenha conseguido vencer o rival Dentil-Praia Clube no Campeonato Mineiro, a expectativa é que entre na Superliga com muito empenho, especialmente no meio de rede, fundamento que tem tudo para ser a força motriz do time, conduzido por Walewska, Gattaz e Valquíria, campeã sul-americana com o Brasil e destaque no ano anterior.

“Nosso time é bem alto, tem várias jogadoras altas, estamos no começo ainda, a gente sabe que tem muito a melhorar. São jogadoras novas, mas acho que o bloqueio será nosso ponto forte”, comentou Carol.

O técnico Marco Queiroga vai poder contar com o time completo para o início da Superliga. “Nós não pudemos utilizar o grupo como um todo no Estadual, e algumas atletas acabaram sobrecarregadas. Na final, algumas jogadoras voltaram, mas faltou a elas ritmo e condicionamento. Num primeiro momento, estamos em 12º lugar (a classificação da última temporada) na Superliga, e nossa meta é primeiramente preparar a equipe para começar bem a competição. Queremos chegar aos play-offs, e daí ser ambicioso e querer algo a mais”, explicou o treinador, que terá três semanas para treinar o time.

Papel. Contratadas para dar peso ao time e assumirem o papel de líderes entre as mais jovens, a dupla formada por Waleswka e Carol Gattaz segue dando exemplo e está desempenhando muito bem a função.

Aos 36 e 34 anos, respectivamente, as ex-defensoras da seleção acumulam experiência no voleibol mundial, e estavam juntas na última temporada sob o comando de José Roberto Guimarães no extinto Vôlei Amil-SP.

“Estão muito bem (cumprindo o papel). São duas jogadoras espetaculares, não só tecnicamente. São de altíssimo nível em termos de experiência e técnica, vivenciaram jogos difíceis”, elogiou Queiroga.

Outra novidade que vem para acrescentar peso ao time é a ponteira Mari Paraíba, que está de volta ao clube mineiro após disputar o Campeonato Paulista pelo Concilig Bauru, time da Superliga B, no início deste ano. A jogadora foi a última a ser anunciada na equipe, e briga pela posição com Carla, capitã minastenista na última temporada, e Jéssica, que se destacou durante a disputa do Campeonato Mineiro.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave