À vontade, sob as montanhas

Ícone do rock progressivo e fundador do Supertramp faz show solo hoje à noite, no parque das Mangabeiras

iG Minas Gerais | LUCAS SIMÕES |

Show. Apesar de manter a maioria dos arranjos acústicos, Roger Hodgson promete trazer sua guitarra ao palco para tocar “Had a Dream”
Rob Shanahan/divulgação
Show. Apesar de manter a maioria dos arranjos acústicos, Roger Hodgson promete trazer sua guitarra ao palco para tocar “Had a Dream”

Em 1998, quando Roger Hodgson esteve em Belo Horizonte pela primeira vez, um dos maiores ícones da história do rock progressivo se surpreendeu com o público mineiro, ao ter um primeiro contato com a banda cover Cia. Supertramp. “Ele ficou assustado em saber que tinha uma banda há quase 10 anos, na época, tocando as músicas dele. Depois do show, quando ele viu todo mundo cantando em coro, ficou maluco e disse que iria bater ponto aqui sempre. Por isso ele gosta tanto de BH”, diz o vocalista e fã Marcos Temponi, que fundou a banda cover do Supertramp em 1991.

Embalado por memórias afetivas singulares com a cidade das montanhas, Roger Hodgson desembarca pela quarta vez na capital, agora para mostrar a turnê “Breakfast in America”, hoje à noite, no parque das Mangabeiras.

Dono de um dos timbres agudos mais cobiçados do rock mundial, o britânico Roger Hodgson também é conhecido pelas alcunhas de hitmaker ou “gênio melódico”. Ao lado de Jon Anderson, ex-integrante do Yes, ele é considerado uma das cabeças mais influentes do rock progressivo, que explodiu entre os anos 1960 e 1970, ao unir belas melodias de piano, sax, harmônicas e vocais, dando vida a clássicos como “Dreamer”, “Give a Little Bit”, “Goodbye Stranger” e “Breakfast in America”, título do principal álbum do Supertramp, lançado em 1979, e que agora batiza sua nova turnê.

Mesmo após sua saída amigável do Supertramp, em 1984, quando a banda estava no auge, fazendo os maiores shows da carreira em estádios lotados pela Europa, Roger Hodgson não se distanciou do rock progressivo. Pelo contrário. Prova disso é o time de músicos impecáveis que o acompanham no palco hoje em dia, reverberando um instrumental que parece trazer ao palco um som que ultrapassou 50 anos de história no mundo do rock, repaginado agora com pitadas naturais de modernidade.

Para interpretar um repertório de cerca de 25 canções, o ex-líder do Supertramp conta com Aaron MacDonald no saxofone, gaita, teclados e backing vocals, enquanto Bryan Head domina as baquetas, Kevin Adamson fica por conta dos teclados e backing vocals, e David Carpenter é o homem do baixo. Acostumado a dizer que “cada show é diferente do outro, não importa quais músicas eu toque”, Roger Hodgson deve apresentar na capital mineira “Had a Dream”, única canção inteira do show em que ele empunha uma guitarra.

Coincidência ou não, o vocalista da Cia. Supertramp, Marcos Temponi, lembra que o ídolo chegou a prometer que traria a guitarra ao Brasil, após receber a banda no camarim, em 2012. “Desde que ele conheceu a banda, vamos ao camarim nos shows e sempre rola uma interação muito legal. Ele quer saber se mudamos arranjos de músicas, assinou meu violão uma vez, é ótimo. Numa dessas, resolvemos entrar no camarim cantando à capela ‘Had a Dream’ e ele ficou muito emocionado, a ponto de dizer que traria a guitarra da próxima vez para tocar essa música. Coincidentemente, logo depois ele começou a fazer shows na Europa usando a guitarra em algumas canções”, diz.

Fora o violão de aço e a canja de guitarra, Roger Hodgson também interpreta parte do repertório no piano Wurlitzer – modelo preferido do artista, que ele leva a poucas cidades onde se apresenta. Além disso, como o show é ao ar livre, cercado de árvores e aos pés da Serra do Curral, o músico abriu mão do característico cenário composto por uma diversa vegetação que ele costuma levar para a turnê de “Breakfast in America”.

Agenda

O QUÊ. Roger Hodgson apresenta a turnê “Breakfast in America”

ONDE. Parque das Mangabeiras (avenida José do Patrocínio Pontes, 580, Mangabeiras)

QUANDO. Hoje, às 19h

QUANTO. R$ 200 (inteira) e R$ 100 (meia-entrada)

Incansável

Shows. Desde 1997, Roger Hodgson voltou ao circuito de shows – após passar mais de cinco anos afastado dos palcos, devido a problemas de saúde e relações conturbadas com o Supertramp. Atualmente, além de apresentações com banda, o músico também faz shows acompanhado de uma orquestra.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave