Mancha Alviverde adota silêncio em relação a morte de torcedor

Facção não vai prestar homenagem ao integrante que morreu atropelado durante confusão envolvendo palmeirenses e santistas

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

A torcida Mancha Alviverde, uniformizada palmeirense, não vai prestar nenhum tipo de homenagem ao seu associado Leonardo da Mata Santos, que tinha 21 anos, morto por atropelamento, no último domingo (19), após confronto com a Torcida Jovem, do Santos, na Rodovia Anchieta. A torcida vem adotando silêncio em relação ao incidente, que segue sob investigação da Polícia Civil. A pedido da família de Santos, não houve nenhuma alusão à torcida, ou ao Palmeiras, no funeral do torcedor, na última segunda-feira (20), no Jardim Ângela, zona sul da capital. Acompanhado de cerca de 100 torcedores da Mancha Alviverde, Santos participou de uma emboscada ao ônibus da Torcida Jovem, do Santos, no último domingo. Os palmeirenses invadiram a pista da rodovia Anchieta para tentar impedir o ônibus de prosseguir. O condutor, bem como outros carros que faziam parte de um comboio, não pararam. Segundo a Polícia Civil, entre os carros que não pararam estava o Audi A3, que atropelou Santos. O palmeirense morreu a caminho do Pronto Socorro Central de São Bernardo do Campo.

Leia tudo sobre: mancha verdefuteboltorcidamortetorcedorpalmeirensesantista