Raposa com o pé descalibrado

Time celeste mostra piora em números de ataque e, com menos gols, deixa vitórias escaparem

iG Minas Gerais | Guilherme Guimarães / Diego Costa |

Artilheiro. Marcelo Moreno é quem mais fez gols no elenco, mas não deixa sua marca há quatro jogos
Douglas Magno – 8.10.2014
Artilheiro. Marcelo Moreno é quem mais fez gols no elenco, mas não deixa sua marca há quatro jogos

O Cruzeiro fez um primeiro turno de Campeonato Brasileiro inquestionável, somou pontos importantes e deixou os rivais para trás na luta pelo título nacional. Pela campanha na primeira metade da disputa, a torcida celeste se empolgou e começou a contar, jogo a jogo, com quantas rodadas de antecedência a Raposa chegaria à sua quarta taça do Brasileirão. Mas, o que era total euforia, ganhou ares de desconfiança. Tudo pela acentuada queda de rendimento da equipe celeste no segundo turno do Nacional. O time de Marcelo Oliveira perdeu força na segunda metade do Brasileiro e, mais do que os desfalques por lesões, convocações à seleção brasileira e cansaço, o baixo aproveitamento do ataque justifica o momento de instabilidade da equipe. Se no primeiro turno o time azul marcou 41 gols em 19 jogos, atingindo média superior a dois gols por partida e sendo dono do melhor ataque, no returno os números caíram pela metade. Nas últimas 11 rodadas o ataque estrelado balançou as redes em apenas 12 oportunidades, sendo apenas o 14º colocado nesse quesito do returno. A justificativa do elenco é uma só: os adversários “jogam a vida” contra o Cruzeiro. “É normal e natural oscilar um pouco. São vários fatores que colaboram para isso: desgaste, lesão e os times jogam no limite contra o Cruzeiro. Só que em nenhum momento perdemos o foco, a motivação, pois queremos muito o título e vamos fortes até o fim”, disse o volante Lucas Silva. Mesmo com os tropeços do líder, a incompetência dos rivais diretos na briga pelo título mantém a equipe azul com folga no topo. Sete pontos ainda separam o Cruzeiro do São Paulo, atual vice-líder. “Esperamos melhores resultados nos próximos jogos. Teremos uma tabela muito favorável a nós nessas últimas rodadas e vamos jogar mais duas partidas em casa. É a chance para deslanchar mais na classificação, pois os nossos adversários terão compromissos mais difíceis. Os nossos perseguidores devem perder pontos, o que nos dará mais tranquilidade”, comentou o presidente Gilvan de Pinho Tavares a O TEMPO. Nas próximas três rodadas, o Cruzeiro encara o Figueirense, em Santa Catarina, além de Botafogo e Criciúma, ambos no Mineirão. Todos os times lutando contra a queda. Enquanto isso, o São Paulo faz dois jogos fora (Criciúma e Vitória) e recebe o Goiás no Morumbi. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave