Gasto com pessoal será de R$ 813 milhões

iG Minas Gerais | Da Redação |

Apesar da arrecadação bilionária – a segunda de Minas Gerais –, o município praticamente não tem capacidade para investir. Uma das razões para isso é o alto gasto com a folha salarial, que consumirá R$ 813 milhões no próximo ano, correspondente a 45% de toda a arrecadação. “Temos uma administração engessada. A cidade não tem capacidade para investir em nada atualmente. O gasto com pessoal é muito elevado, e, mesmo assim, o servidor continua insatisfeito”, disse o vereador Daniel Costa (PT).

Outra preocupação com a arrecadação de Betim é em relação ao ICMS. O valor vem caindo a cada ano, o que mostra que a capacidade de atrair novos investimentos, como na indústria e no comércio, está em baixa. As empresas hoje estão saindo da cidade, como as Casas Bahia, que levaram o seu centro de distribuição para Contagem. “Como o ICMS é a principal fonte de renda da cidade, é preciso buscar outras alternativas, gerar mais receitas próprias. Por isso, acho que a Câmara deveria ter um debate mais amplo sobre o orçamento”, afirmou Costa.

“Entretanto, o investimento nas indústrias, que são a principal fonte de arrecadação, não parece uma grande preocupação da administração, que reservou apenas R$ 5.000 para atrair novos investimentos”, completou Vinícius Resende (SD).

Para a área de comércio e serviços, foram previstos R$ 542 mil.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave