Setembro tem o pior saldo na criação de empregos

Puxado pela indústria e a construção civil, índice negativo no mês é o primeiro em 11 anos; segundo o Caged, 823 postos de trabalho foram fechados no período

iG Minas Gerais | José Augusto Alves |

Construção civil é um dos setores com piores resultados
João Lêus
Construção civil é um dos setores com piores resultados

Pelo sexto mês seguido, o saldo da criação de empregos em Betim fechou no vermelho. De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), 823 postos de trabalhos foram fechados na cidade em setembro, representando o pior saldo neste ano na cidade.

Foram registradas 4.785 demissões, contra 3.962 admissões, fazendo com que, pela primeira vez em 11 anos, um saldo negativo tenha sido registrado no mês de setembro.

No acumulado do ano, o saldo também é negativo. De janeiro a setembro, o saldo negativo foi de 796 postos de trabalho fechados, resultado de 41.710 demissões e 40.914 admissões. Em 2013, o saldo dos nove primeiros meses foi de 2.456 vagas criadas. Já em 2012, o mesmo período também teve resultado positivo: 2.401 empregos formais foram gerados.

A indústria e a construção civil continuam sendo os setores que mais demitem. No primeiro, 2.017 trabalhadores foram dispensados em setembro, enquanto 1.185 foram admitidos. A construção civil fechou o mês com 696 demissões, contra 405 admissões. Os setores que apresentaram melhores resultados foram o de serviços e o comércio.

De acordo com o professor de economia aplicada e economia empresarial Raul Duarte Neto, da Fundação Getúlio Vargas, esse cenário deve permanecer pelos próximos meses. “A indústria é o setor que está mais estagnado, com um resultado mais crítico. Será preciso medidas mais eficazes para que a economia volte a crescer e a atrair investimentos”, afirmou.

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico informou, em nota, que a crise nacional afetou o número de postos de trabalho na cidade. “A atual gestão tem investido e atraído empresas de vários segmentos, como transportes, e-commerce (comércio digital), centros logísticos de distribuição, alimentação, dentre outros. Tais atrativos dizem respeito à construção de parques industriais, à infraestrutura urbana e à facilitação de abertura e instalação das empresas”.

Já a Superintendência Municipal de Trabalho, Emprego e Renda, por meio do Sistema Nacional de Emprego (Sine), disse que conseguiu preencher, desde o início do ano, 4.397 vagas de emprego. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave