Ômega 3 DHA ajuda a desenvolver sistema nervoso central do bebê

Componente essencial para as membranas celulares, substância tem um papel importante na prevenção de doenças alérgicas em recém-nascidos

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

No mundo todo, 62% das fotos postadas são de bebês de até 1 ano e ao menos 30% de recém-nascidos
STOCKXPERT
No mundo todo, 62% das fotos postadas são de bebês de até 1 ano e ao menos 30% de recém-nascidos

O Ômega 3 é um ácido graxo polinsaturado essencial para o organismo não sintetizado naturalmente, por isso,  precisa ser consumido nas refeições. Presente em peixes como salmão, sementes de linhaça, nozes e azeite de oliva, o Ômega 3 é composto por três frações específicas: ALA (ácido alfa-linolênico), EPA (ácido eicosapentaenóico) e  DHA (ácido decosahexanóico).  Desde 2007 a Comissão Europeia recomenda que a ingestão de Ômega 3 DHA seja de, no mínimo, 200 mg ao dia para gestantes e lactantes. De acordo com a obstetra e professora Roseli Nomura, da Escola Paulista de Medicina - UNIFESP e da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, os ácidos graxos polinsaturados de cadeia longa como o Ômega 3 DHA e o ácido araquidônico são os mais importantes para a formação adequada do sistema nervoso central dos bebês. “Na gravidez e na fase de lactação a ingestão materna de Ômega 3 DHA pode otimizar o desenvolvimento neurocognitivo fetal e neonatal”,  explica a obstetra. Estudos in vitro, em culturas celulares, demonstram que a proliferação de neurônios é aumentada na presença do Ômega 3 DHA, além de estimular a maturação neuronal. “O Ômega 3 DHA é um componente essencial para as membranas celulares, especialmente para o desenvolvimento da retina e do sistema nervoso central. A adequada ingestão de Ômega 3 DHA pela gestante durante o desenvolvimento fetal é extremamente importante para otimizar o desenvolvimento cognitivo do bebê porque é quando ocorre a migração e expansão dos neurônios”, explica a médica. A obstetra orienta que em casos em que a gestante não consegue suprir por meio da alimentação a quantidade necessária de Ômega 3 DHA, que é de pelo menos duas porções semanais de peixes ricos em Ômega 3 e de origem segura, a suplementação é indicada.

As gestantes que optarem pela suplementação podem escolher o nutracêutico Proepa Gesta, um suplemento que contém Ômega 3 com alta concentração de DHA. Cada cápsula contém 250mg de DHA concentrado. A recomendação é que a gestante tome de 1 a 2 cápsulas ao dia ou conforme a orientação do ginecologista obstetra responsável pelo seu pré-natal. Apesar dos benefícios o recomendável é que o médico seja sempre consultado.

A obstetra ainda orienta que o Ômega 3 DHA tem um importante papel nos processos anti-inflamatórios. “A dieta materna rica em Ômega 3 DHA pode reduzir a formação de citocinas inflamatórias, o que pode prevenir o parto prematuro de origem espontânea”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave