Órgão de direitos humanos da ONU pede eleição aberta em Hong Kong

O painel de 18 especialistas independentes, que monitora o cumprimento de um tratado internacional sobre direitos civis e políticos, decidiu manifestar o pedido à China durante reunião

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O Comitê de Direitos Humanos da ONU pediu nesta quinta-feira (23) à China que garanta o sufrágio universal em Hong Kong, incluindo o direito de que os candidatos concorram às eleições sem estarem sujeitos a vetos.

O painel de 18 especialistas independentes, que monitora o cumprimento de um tratado internacional sobre direitos civis e políticos, decidiu manifestar o pedido à China durante reunião em que expressou preocupação com os planos de Pequim de vetar candidatos na antiga colônia britânica.

O comitê concordou sobre "a necessidade de garantir o sufrágio universal, o que significa tanto o direito de se eleger como o direito de votar", disse Konstantine Vardzelashvili, que comandou a reunião.

"As principais preocupações dos membros do comitê foram focadas no direito de concorrer à eleição sem restrições despropositadas", acrescentou. Manifestantes pró-democracia ocupam as principais ruas de Hong Kong há quase mês em protesto contra o plano do governo central para as eleições locais de 2017.

Enquanto haveria o sufrágio universal, os candidatos seriam escolhidos por um comitê composto por 1.200 membros, separados por setores variados, de associações empresariais e de classe a membros do Legislativo.

Os ativistas afirmam que as regras representam uma "falsa democracia", já que o comitê é dominado por grupos simpáticos ao governo chinês. Nesta quarta (22), os manifestantes marcharam à residência do chefe do Executivo, Leung Chun-ying, do qual exigem a renúncia. As primeiras conversas entre manifestantes e governo na terça (21) não deram nenhum resultado.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave