FHC foi a Paris para se preparar para viver sem banho, diz líder do PT

Deputado Vicentinho fez referência ao problema de abastecimento de água que atinge São Paulo; ele ainda rebateu as críticas ao ex-presidente Lula

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Em mais uma troca de provocações entre PT e PSDB sobre a crise da falta de água em São Paulo, o líder petista na Câmara dos Deputados, Vicentinho (SP), disse que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso foi aprender em Paris a viver sem banho por conta do problema de abastecimento que atinge os paulistas.

O petista subiu o tom ao ser questionado sobre a acusação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de que tucanos são nazistas.

"Eles é quem chamaram nosso povo de nazista. O presidente Lula estava na periferia, na comunidade, enquanto Fernando Henrique estava em Paris, talvez se preparando lá para viver sem tomar banho porque em São Paulo está faltando água", afirmou o petista.

Segundo o líder, o PSDB sempre "chamou" petistas de nazistas. "A grande verdade, pessoal, é que sempre criaram o maior dos terrorismos, fazem medo, eu me lembro da época da atriz Regina Duarte quando dizia 'Eu tenho medo, eu tenho medo...', afirmou.

E completou: "E quando você faz um debate --e eu espero que no próximo debate que ocorrerá [entre os presidenciáveis] seja com base em propostas concretas porque quando se avalia propostas se verifica quem é que tem razão e quem é que ganha a opinião do nosso povo-- o restante são conversas de campanha".

Na reta final da campanha, a crise da falta de água em São Paulo é a nova aposta da campanha da presidente Dilma Rousseff para minar a candidatura de Aécio Neves (PSDB) nesta última semana antes da votação do segundo turno. A estratégia é usar o tema para tentar tirar votos do tucano em todo o país.

O tema foi explorado nos programas de TV da petista e também em debates --sempre procurando associar a imagem dos tucanos a falhas de planejamento que acabam prejudicando a população.

Vicentinho disse que está confiante na vitória de Dilma. "Eu acho que não acontecerá nada que faça mudar a opinião do nosso povo. Eu acredito que a tendência é cada vez mais a Dilma crescer e o Aécio diminuir. Esta é a nossa avaliação até porque os trackings de hoje já mostram uma diferença superior às próprias pesquisas, com diferença de sete pontos".

SUCESSÃO

Vicentinho disse que o PT, maior bancada da Casa, vai brigar para voltar à Presidência da Câmara em 2015. Nos últimos anos, PT e PMDB tinham um acordo para revezarem o comando da Casa. Nos bastidores, o líder do PMDB, Eduardo Cunha (RJ), já costura apoio para sua candidatura. No PT, deputados também já começam a se articular para a disputa.

"Existe um entendimento de que deve sempre realizar esse rodízio entre as maiores bancadas e apesar das nossas perdas ainda continuamos sendo a maior bancada", disse.

O PT elegeu 70 deputados na eleições deste ano e o PMDB elegeu 66 parlamentares.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave