Votos feminino e do Sudeste colocam Dilma na dianteira

Petista e tucano estão empatados na rejeição do eleitorado com percentuais de 40% e 39%

iG Minas Gerais |

Dilma tem falado em direitos de mulheres e Lei Maria da Penha
Ichiro Guerra- 13.10.2014
Dilma tem falado em direitos de mulheres e Lei Maria da Penha

São Paulo. Impulsionada, entre outros fatores, pela melhoria de seu desempenho no Sudeste, região mais populosa do país, Dilma Rousseff (PT) alcançou 52% das intenções de votos válidos, sem contar os votos nulos e em branco. Aécio Neves (PSDB) está com 48%, segundo o Datafolha. Nos quatro Estados do Sudeste, Dilma passou de 34% para 40% no intervalo de 11 dias. Outro avanço relevante no período foi entre as mulheres, de 42% para 46%.

No Nordeste, região em que o PT, normalmente, tem boa votação, Dilma cresceu 4 pontos, passando de 60% das intenções de voto para 64% no intervalo de 11 dias. Na mesma região, Aécio perdeu outros 4 pontos, caindo de 31% para 27%. A petista também conseguiu bom desempenho na região Centro-Oeste, crescendo de 33% da preferência do eleitorado para 39%. O tucano, na mesma região, caiu de 55% das intenções de voto para 48%. Na Norte, houve uma estabilidade, com movimentação das intenções de voto variando dentro da margem de erro, que é de 2 pontos percentuais, para os dois candidatos. Mulher. Na TV e nas redes sociais, Dilma explorou a ideia de que Aécio seria agressivo com as mulheres. O fato de o tucano ter chamado a presidente de “leviana” no debate organizado pelo SBT com o UOL pode ter reforçado essa imagem. A campanha de Dilma parece ter escolhido o tema como um dos preferidos. No último sábado, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, durante comício em Belo Horizonte, afirmou que nunca viu um candidato desrespeitar tanto uma “presidenta”. Ele ainda usou de ironia. “Se Aécio faz isso com uma presidenta, imagina o que não vai fazer com um sem-teto”, perguntou para a militância o evento. Salários. Nos recortes de renda, Dilma continua vencendo o tucano com folga entre os mais pobres (até 2 salários mínimos): 55% a 34% dos votos totais. No grupo seguinte (2 a 5 salários), a dianteira de 11 pontos de Aécio registrada na pesquisa anterior recuou para três (46% a 43%, um empate técnico). Mas o tucano vence entre os grupos mais ricos. Ele tem 57% das intenções devoto entre os eleitores que ganham de 5 a 10 salários mínimos, e 65% entre os que tem renda superior a 10 salários. Também pela primeira vez, a rejeição de Aécio é numericamente maior que a rejeição de Dilma: 40% dos eleitores dizem que não votam no tucano “de jeito nenhum”. Com Dilma, a taxa é de 39%. O Datafolha ouviu 4.389 eleitores. As entrevistas foram realizadas nessa segunda. Nesta terça, outra pesquisa já estava em campo.

Dados são questionados De acordo com o Datafolha, uma mensagem começou a circular nas redes sociais, afirmando que a pesquisa é uma farsa. Mas, segundo o instituto, a mensagem usa dados errados para sustentar que o candidato do PSDB, Aécio Neves, estaria na frente da petista Dilma Rousseff no segundo turno da eleição presidencial. O texto questiona o resultado do levantamento: o empate técnico no limite da margem de erro.

Dados Registro. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral com protocolo número BR 01140/2014. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave