Jihadistas tomam armas lançadas por EUA

Brasileira diz que prefere ver filho atrás das grades

iG Minas Gerais |

São Paulo. Combatentes do Estado Islâmico (EI) tomaram um carregamento de armas lançadas por aeronaves dos EUA que visava fortalecer os militantes curdos que defendem a cidade de Kobani, na fronteira da Síria com a Turquia. O carregamento inclui granadas, munição e lança-foguetes, segundo vídeo publicado por um grupo de mídia fiel ao EI. As imagens aparentam ser autênticas, e ativistas consultados pelo Observatório Sírio de Direitos Humanos confirmaram que as armas foram roubadas.

Segundo o observatório, o carregamento foi lançado pela coalizão liderada pelos EUA nessa segunda, mas caiu nas mãos dos militantes que há quase um mês tentam tomar controle de Kobani. Pessoas leais ao EI postaram mensagens irônicas de agradecimento aos americanos, incluindo uma imagem com os dizeres “Time dos EUA”.

Prisão. A mãe de Brian De Mulder, o jovem belga de origem brasileira que desde janeiro de 2013 engrossa as filas do EI na Síria, deseja que o filho seja condenado no processo contra a organização extremista Sharia4Belgium. O julgamento foi reiniciado nessa segunda, em Antuérpia. “Eu prefiro que meu filho seja condenado, prefiro todos os dias da minha vida ir à cadeia visitar meu filho a saber que ele é um terrorista e está agora na Síria”, disse Rosana Rodrigues à BBC Brasil.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave