Mudanças em várias equipes

Além das entradas e saídas, a dependência por patrocinadores faz muitas equipes mudarem de nome de uma temporada para a outra

iG Minas Gerais | Daniel Ottoni |

As novidades para esta temporada, no masculino, são as presenças do São José dos Campos e Voleisul-Paquetá Esportes-RS, campeão e vice da Superliga B. O Voleisul entrou no torneio de última hora, após desistência do Voltaço Vôlei-RJ. No feminino, a novidade é São José dos Campos, que venceu o torneio de acesso.  

Como sempre acontece, equipes desistiram da competição. Além do Voltaço, o RJ Vôlei, campeão na temporada 2012/2013, fechou as portas, assim como o Barueri Vôlei, que estreou na última temporada, no feminino. Outro time que chegou ao fim foi o Vôlei Amil-SP. O fato ainda incomoda grandes nomes do cenário nacional, que esperam que a situação mude de vez, para fortalecer ainda mais o campeonato.

“A Superliga está crescendo muito no cenário do voleibol mundial. Só temos que ficar atentos para que as atletas não comecem a sair novamente do Brasil. Os times de fora mostram um interesse cada vez maior nas jogadoras brasileiras. É importante tomar cuidado para que equipes não acabem e patrocinadores não diminuam seus investimentos. Apesar dessa preocupação, considero a Superliga um dos melhores campeonatos do mundo”, mostra a central Adenízia, do Molico-Nestlé-SP, uma das favoritas ao título no feminino.

Além das entradas e saídas, a dependência por patrocinadores faz muitas equipes mudarem de nome de uma temporada para a outra. O Banana Boat-Praia Clube, por exemplo, se transformou em Dentil-Praia Clube. O atual campeão brasileiro feminino Unilever-RJ virou Rexona-Ades-RJ. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave