Superliga é lançada com festa na capital paulista

Evento contou com participação de representantes de todos os 25 times da competição

iG Minas Gerais | Daniel Ottoni |

Lançamento. Jogadores das 12 equipes que vão disputar a Superliga masculina estiveram presentes no evento em hotel de São Paulo
Alexandre Arruda/CBV
Lançamento. Jogadores das 12 equipes que vão disputar a Superliga masculina estiveram presentes no evento em hotel de São Paulo

São Paulo. Somente quando se tem a oportunidade de ver as principais estrelas do vôlei nacional reunidas em um só lugar é que se consegue ter uma noção ainda maior de como a Superliga é recheada de astros de talento internacional. Foi isso que aconteceu na tarde desta terça, em um hotel de São Paulo, local do lançamento da temporada 2014/2015 da Superliga.  

Vários atletas estiveram presentes e mostraram que o nível do vôlei brasileiro não só foi mantido como aumentou nos últimos anos. Marcaram presença também membros de comissões técnicas, além de outros representantes de todos os 25 times, 12 do masculino e 13 do feminino.

“São poucas as oportunidades de estarmos reunidos. É sempre bom ver essa união em eventos como este. Uma pena que esta será a última vez que estarei aqui como atleta. Mas espero voltar em uma outra função”, detalha Fofão, que parte para sua última temporada como profissional. São 44 anos de idade e mais da metade deles dedicado ao esporte.

Dentro de quadra, o nível técnico promete ser elevado, não só por causa dos grandes, mas também de quem chega para incomodar. “Ouvi falar muito bem do time de São José dos Campos. Além disso, conheço o projeto do Voleisul, que é muito sério e organizado, principalmente na parte de logística. É disso que o nosso vôlei precisa, assim atrairemos mais patrocinadores”, mostra Ricardinho, referindo-se aos dois times que subiram da divisão de acesso.

Sobre os favoritos, a novidade será a presença do Taubaté Vôlei-SP, que montou uma verdadeira seleção, com jogadores do time de Bernardinho, como Rapha, Lipe, Dante, Felipe, Sidão e Maurício Souza. “Eles chegam fortes. Terão que tentar desbancar o Sesi-SP e o Sada Cruzeiro, o melhor time do Brasil. Muitos tentam desbancá-los, mas quase ninguém consegue”, aponta o levantador do Ziober-Maringá.

O capitão do time celeste, William, revela o segredo para o sucesso do atual campeão brasileiro. “Temos uma filosofia de manter a base, fazer poucas mudanças. Isso faz a diferença. Esta Superliga será, novamente, complicada, com a presença de grandes equipes. Mas vamos pra cima”, garante.

*O repórter viajou a convite da CBV

Sada lamenta decisão em jogo único Mesmo depois de os clubes terem se decidido a favor de disputar a final em uma série de melhor de três, a CBV manteve a decisão em um jogo só, que será transmitido pela TV Globo. Para o Sada Cruzeiro, atual campeão, a mudança é desrespeitosa. “O clube acha um desrespeito com os todos clubes que foram a favor da sequência de três jogos, e com os torcedores, já que um dos times fica sem o direito de fazer um jogo frente à sua torcida”, disse o gerente do time, Flávio Pereira, explicando a posição da equipe.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave