Atlético paga caro por displicência do ataque e empata com o Bahia

Com o resultado, o Galo desperdiçou a chance de assumir a vice-liderança do Brasileiro e ainda corre o risco de sair do G-4 no complemento da rodada

iG Minas Gerais | JOSIAS PEREIRA |

BA - BRASILEIRÃO/BAHIA X ATLÉTICO-MG - ESPORTES - Dátolo e Guilherme Santos em lance da partida entre Bahia e Atlético-  MG, válida pelo Campeonato Brasileiro 2014, na Arena Fonte Nova,   em Salvador, na Bahia, nesta terça-feira.   21/10/2014 - Foto: EDUARDO MARTINS/AGÊNCIA A TARDE/ESTADÃO CONTEÚDO
ESTADÃO CONTEÚDO
BA - BRASILEIRÃO/BAHIA X ATLÉTICO-MG - ESPORTES - Dátolo e Guilherme Santos em lance da partida entre Bahia e Atlético- MG, válida pelo Campeonato Brasileiro 2014, na Arena Fonte Nova, em Salvador, na Bahia, nesta terça-feira. 21/10/2014 - Foto: EDUARDO MARTINS/AGÊNCIA A TARDE/ESTADÃO CONTEÚDO

Em um jogo extremamente aberto em Salvador, o Atlético desperdiçou a oportunidade de assumir a vice-liderança do Campeonato Brasileiro. Nesta noite, na Arena Fonte Nova, a equipe empatou com o Bahia por 1 a 1. Um verdadeiro castigo pela displicência do ataque alvinegro na hora da conclusão. Os gols da partida foram  marcados na segunda etapa, primeiro com Luan, de cabeça, aos 8 min, e depois com Guilherme Santos, em um vacilo de marcação aos 39 min. Com o resultado, o Atlético chegou aos 51 pontos e dorme na terceira posição da tabela. O primeiro tempo alvinegro esteve aquém do desempenho das últimas rodadas. Além de proporcionar espaços e errar muitos passes, Guilherme deixou o campo acusando dores na coxa direita com apenas 12 min. Sem a qualidade na armação, o time sofria no ataque e encontrava dificuldades para encaixar a marcação. Apesar disto, o jogo estava aberto e era o Bahia que chegava com mais perigo. Aos 35 min, um lance incrível! Diego Macedo recebeu belo lançamento, aplicou um lençol no goleiro Victor e chutou torto, longe do gol. O Atlético tentou responder com chutes de fora da área, mas a maioria das jogadas tramadas parava na falta de pontaria dos atacantes alvinegros. A melhor chance do time aconteceu aos 9min, quando Luan tentou emendar um voleio, e a bola passou à esquerda do gol de Marcelo Lomba. O capricho na hora H custou caro às equipes, que foram para o intervalo empatando sem gols. O ritmo intenso se manteve na etapa complementar. No entanto, o Galo foi letal. Comprovando a aposta certeira da comissão técnica, o lateral-esquerdo Douglas Santos cruzou na medida, e Luan, desta vez, não perdoou. Aos 8 min, livre de marcação, o atacante surgiu no segundo pau para testar firme e mandar a bola para o fundo das redes. O Atlético poderia matar a partida. Foram várias as oportunidades desperdiçadas por Tardelli e Carlos. E o castigo pela displicência veio no finalzinho do jogo. Aos 39 min, Guilherme Santos recebeu o lançamento, ganhou de Carlos e tocou por cima de Victor. O status do jogo voltou ao estágio inicial.

Com a necessidade de vencer o duelo para buscar os três pontos fora de casa, o Atlético foi para cima e chegou a balançar as redes com Tardelli aos 45 min. No entanto, o atacante empurrou o defensor e a arbitragem assinalou falta. Por reclamação, o jogador foi expulso de campo. Com pouco tempo no relógio, as equipes até tentaram, mas o jogo terminou mesmo empatado. 

Leia tudo sobre: atleticogalobahiaempatefutebolbrasileirogol