Doleiro Youssef é absolvido em ação sobre tráfico de drogas

O juiz considerou que não havia provas que mostrassem a participação de Youssef de "forma relevante" para o tráfico

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O juiz federal Sergio Moro absolveu nesta segunda-feira (20) o doleiro Alberto Youssef da acusação de ter ajudado a lavar dinheiro de um traficante de cocaína. Ele era acusado inicialmente de ter entregue US$ 36 mil a um acusado de tráfico internacional de drogas.

O juiz considerou que não havia provas que mostrassem a participação de Youssef de "forma relevante" para o tráfico. "O escritório de lavagem de dinheiro de Alberto Youssef teria sido utilizado apenas como entreposto dos US$ 36 mil", escreveu o juiz na sentença.

A entrega dos US$ 36 mil ao traficante havia sido pedida por um doleiro de Brasília. A Polícia Federal descobriu a participação de Youssef nesse caso durante a Operação Lava Jato, que investiga desvios na Petrobras.

Youssef sempre negou que tivesse lavado recursos de tráfico de drogas. Rene Luiz Pereira foi condenado a 14 anos de prisão por tráfico internacional de drogas e lavagem de dinheiro. Ele era acusado de ter usado um doleiro de Brasília para lavar US$ 124 mil que foram obtidos com a venda de cocaína na Europa. Posteriormente, os valores foram enviados à Bolívia para a compra de mais cocaína.

Na Bolívia, o dinheiro foi usado para trazer 698 quilos de cocaína para o Brasil. A droga acabou apreendida pela polícia em Araraquara, no interior de São Paulo. O dinheiro que veio da Europa passou por duas empresas para ganhar uma aparência legal no Brasil, entre as quais o Posto da Torre, um dos mais conhecidos de Brasília pelos preços baixos que pratica.

O doleiro Carlos Habib Chater, de Brasília, foi condenado a cinco anos e seis meses de prisão pelo crime de lavagem. A Justiça determinou também o confisco de bens de Chater no valor de US$ 124 mil.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave